Desfrutar da minha própria companhia.

Gostar de si próprio essa é a questão.

Quando gostamos de nós mesmos, apreciamos a nossa companhia e conseguimos ficar só, refletir, olhar no espelho, sem se assustar com o que vê.

Dizem que quando não gostamos de nós mesmos, temos também dificuldade de se relacionar com os outros.

Buscamos refúgio na presença de muita gente e não sabemos por onde começar, isso porque o ponto de partida dos relacionamentos somos nós mesmos. Quando nos sentimos inseguros no ponto de partida, já saímos navegando de maneira irregular.

Decepções:

E essa busca incessante de preenchimento existencial com as outras pessoas acaba gerando um estresse enorme e uma fonte de decepções, pois projetamos pessoas ideias e perfeitas e relacionamentos perfeitos.

A falta que faz uma reflexão interna e a aceitação de si próprio, tal como somos, imperfeitos e inacabados, acaba refletindo nos desapontamentos que temos com todos que nos cercam.

Amar a si próprio:

O blog Abundance Tapestry descreve 17 passos para amar a si próprio, e eu descrevo cinco que gostei enormemente.

-Elimine a autocrítica. Acalme aquela vozinha que te chama de estúpida todo momento.

-Reconheça o seu esforço. Não conte apenas as vitórias, pois muitas vezes é o esforço que conta.

-Acredite em si próprio. Tenha confiança na habilidade que você tem para fazer grandes transformações na sua vida.

-Se perdoe. Se alguns erros do passado te deixaram diminuída é hora de se perdoar.

-Faça afirmações positivas todos os dias. Remodele a sua mente. Por exemplo: eu aceito a mim mesma e amo a mim mesma incondicionalmente.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta