Deixe passar.

Alguém foi rude contigo no supermercado, um motorista te ultrapassou de maneira imprudente, um colega levantou a voz para ti. Análise se isso tem realmente importância, e se exige alguma ação concreta.

Muitas vezes ficamos remoendo o fato, sem resultado algum para nós mesmos.

É melhor evitar carregar esse peso inútil. Deixe passar.

É possível que sinta o sangue subir à cabeça, a adrenalina ir para as alturas, mas relaxe, respire fundo e deixe passar. Não deixe que os outros controlem a sua ação. Seja dono de si, mesmo nas situações de raiva e desconforto.

Se faça esta pergunta.

Até que ponto isso é importante?

O que vou ganhar com isso?

Isso vai ajudar no meu crescimento?

Reagir agressivamente ou guardar ressentimento vai ajudar a melhorar a situação?

Sempre teremos a opção de deixar passar ou de nos apegarmos ao evento, deixando se escravizar pela emoção exagerada.

Devemos refletir que alguns dias adiante, isso não terá qualquer importância – porque nos atormentarmos com isso agora?

Por vezes nos damos conta que desejamos tanto uma coisa que está fora do nosso alcance. É hora de deixar ir e trocar esse desejo por um pouco de serenidade.

Sinta a serenidade se apossar de você quando você deixa passar.

Se faça outras perguntas.

Você perdeu alguma coisa ao deixar passar?

Deixar passar é se libertar, estar mais aberto, mais flexível.

Segurar algo inadequadamente é rigidez, inflexibilidade, é estar cativo, preso.

Deixar ir é decidir por si próprio, assumindo o controle da sua própria vida, se libertando das limitações.

Deixe ir os maus pensamentos.

Deixe ir os maus hábitos.

Sinta-se livre, liberto.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta