Declare alguma coisa: concluída.

Quantas coisas ficam na nossa carga de trabalho sem conclusão, mas que deveríamos dar como concluído.

Me encantou a postagem de Gretchen Rubin que diz exatamente isso: Declare something finished.

Gretchen como escritora vive esse dilema sempre , de dar mais um acabamento, de seguir aprimorando o texto.

Eu mesmo vivi essa experiência quando iniciei o blog.

Concluída:

Aprendi que há um momento que devemos declarar a tarefa concluída, do contrário seguimos indefinidamente trabalhando nele.

Uma palavra a mais, um verbo substituído, um adjetivo abrandado, tudo se torna um motivo para mexer um pouquinho no texto.

Acredito que essa recomendação se aplica em muitas coisas da nossa vida.

Temos todos um hábito de deixar coisas inacabadas pelos cantos.

Temos que tomar uma atitude de ir encerrando um de cada vez, limpando a área.

O pensamento: está quase acabado é um inimigo.

O outro pensamento: preciso dar um último arremate é o primo irmão do pensamento anterior.

Como diz Gretchen, não deixe o ótimo ser o inimigo do bom.

Declare alguma coisa: concluída.

O perfeccionismo é um inimigo dos projetos concluídos. Estamos sempre insatisfeitos com o resultado e se não conseguimos finalizar agora, deixamos para finalizar depois.

Quantos projetos nos metemos a conduzir e acabamos deixando pelos cantos, inacabados.

Desista:

Aquilo que já desistimos de fazer, devemos colocar uma pedra em cima – declarar acabado, ou definitivamente abandonado.

Eu mesmo, tenho um montão de coisas para dar como encerrado.

A nossa vontade de fazer é maior que a nossa capacidade de concluir, e por isso mesmo terminamos com uma lista de projetos inacabados.

Para o bem da nossa saúde emocional, devemos repassar a lista, projeto a projeto e ir encerrando.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta