Dar de si é um privilégio.

Pensamos que dar é um privilégio para quem recebe, mas é o contrário. A benção e o privilégio é concedido a quem doa, quem dá uma pouco de si.

Já disse Churchill que vivemos com o que conseguimos, mas a vida é feita com aquilo que damos.

A vida é doar, dar um pouco de si, de coração em cada oportunidade. Temos que ser caridosos.

O mérito não está em receber, e sim em doar.

Observação importante deve ser feita quanto às medalhas que os atletas recebem, que na verdade é apenas o símbolo do seu esforço e dedicação, eles não estão recebendo nada de graça.

Generosas e saudáveis:

Já comentamos bastante sobre a saúde das pessoas generosas. O ato de dar faz bem à saúde. Mesmo aquele que doa sangue é mais saudável que aquele que não doa.

Devemos sempre desejar o bem estar do outro, e mesmo aquele que escolhe cooperar ao invés de competir, está investindo na sua própria saúde.

Os impulsos cerebrais que ocorrem no ato de doar são iguais aos prazeres experimentados quando comemos algo gostoso como por exemplo, o chocolate.

Doar nos faz feliz e saudável, e deveria ser razão de sobra para sermos mais generosos.

O altruísmo também nos afasta de compulsões, e vícios, e aqueles que se afastaram dos hábitos tóxicos, têm maior chance de se manterem sóbrios com o altruísmo.

Provérbio chinês diz que:

-se você quer ser feliz por uma hora – tire um cochilo.

-se você quer ser feliz por um dia – vá pescar.

-se você quer ser feliz por um mês – se case.

-se você quer ser feliz por um ano – herde uma fortuna.

-se você quer ser feliz pela vida toda – ajude alguém.

As duas primeiras coisas são puramente circunstanciais, e totalmente passageiras. A duas seguintes são adaptativas, e rapidamente nos acostumamos e podem não trazer incremento na nossa felicidade, passado algum tempo.

A última é a única duradoura, pois nos torna maior, nos engrandece.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta