Cuidado com a pessoa que está sofrendo.

Quando nos deparamos com uma pessoa em sofrimento, o sentimento mais adequado é a compaixão.

Não é sentir pena, indignação ou impotência.

Compaixão significa sentir você mesmo a dor da outra pessoa e querer que essa dor cesse.

Entenda o que está acontecendo.

Filtre suas reações, para não fazer nada grosseiro e inadequado.

Não julgue, não critique, e procure ajudar no que puder.

Quando estamos em dificuldades, podemos estar também com a auto-estima baixa e enfraquecidos emocionalmente. Tudo o que não precisamos é alguém nos criticando.

Um cuidado especial para ajudar quem está em dificuldades.

As pessoas podem se ofender facilmente, podem se magoar e romper relações. Procure não dar palpites, não botar o dedo na ferida.

Quando estamos por baixo, queremos mais é nos enfiar debaixo das cobertas e deixar a tempestade passar, críticas desnecessárias nos colocam mais para baixo.

Quando o caso é de depressão, você pode encorajar o amigo a procurar um profissional.

Alguns conselhos que habitualmente damos às pessoas deprimidas tais como: saia dessa depressão, levante a cabeça, saia dessa inércia – não ajudam em quase nada, pois as pessoas não têm energia suficiente para sair sozinho dessa situação.

Você tem que estender a mão e ajudá-la a se levantar.

Quando há um  motivo concreto para o sofrimento, por exemplo a perda de um ente querido, você pode prestar solidariedade até que a situação amenize;

Uma outra situação é quando a pessoa sofre por uma percepção negativa da realidade, e com muita habilidade, elas pode ser ajudadas a melhorar a percepção.

A primeira coisa é ser amigo, mostrar amizade, o ombro amigo, uma disposição mais para ouvir do que falar.

Se você sabe a fonte ou a causa do sofrimento e puder ajudar na eliminação ou redução do efeito, deve fazer, sempre que possível.

Quando estamos no olho do furacão, perdemos a capacidade de enxergar o problema de maneira adequada, e uma pessoa amiga pode ajudar a buscar uma solução.

Não fique empurrando a pessoa para lutar contra algo que ela não tem condições de fazer.

Aponte para a pessoa a rede de ajuda que ela pode recorrer, pois a auto-estima baixa impede que a pessoa enxergue a ajuda que pode obter, até porque não se julga merecedora de ajuda.

Seja específico na ajuda, quando for possível.

Eu vou te ajudar com o problema da casa por uns dias e depois vamos procurar alguém para ajudar com o outro problema.

Tenha especial cuidado com os problemas de relacionamento, são muito difíceis de opinar e até de ajudar.

Uma recomendação para quem quer ajudar o outro, é se manter fortalecido. É muito difícil um doente ajudar outro doente.

Ninguém vai encher a vida do outro com um balde vazio.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta