Criar um mundo só pra você.

Sei que você pode estar querendo um mundo só pra você.

Não é uma questão de egoísmo, mas você é único, e o seu mundo, em certo sentido é o seu mundo.

Tampouco quer dizer transformar tudo que existe unicamente  para a sua satisfação.

Ter um mundo só para você, significa se satisfazer, a seu modo, com tudo que existe. Quer dizer, se contentar com a abundância da vida.

Viver a própria vida:

Parece óbvio, mas muita gente vive a vida de outras pessoas, tentando controlar os outros, julgando o mundo, obcecado por influir em coisas que estão fora do seu controle.

Quem vive desta maneira, está perdendo a chance de viver a sua própria vida, de criar o seu mundo particular.

Constato cada vez mais, que as pessoas serenas e felizes, conseguiram encontrar o seu mundo, portanto, conseguiram criar e compreender o seu mundo.

Você já ouviu a observação: “em que mundo ele está vivendo?”.

Cenário extremo:

Faz-se este comentário quando vemos pessoas que vivem um mundo bizarro, irreal, desconectado com si próprio.

Este é um cenário extremo, mas podemos fácilmente nos pegar dando uma de intrometido na vida dos outros, ou mesmo querendo viver a vida de celebridades, gente da sociedade, figuras públicas.

Imitar é dar uma de marionete, é abdicar do seu direito de viver a própria vida. É também viver com os recursos que estão à sua disposição.

Quando fingimos ser o que não somos e nos individamos para emular um padrão de vida que não é nosso, estamos na verdade imitando a vida de outras pessoas.

No fundo, isso traz um desconforto e nos afasta da felicidade.

Nos sentimos tranquilos e autênticamente felizes, quando desempenhamos o próprio papel e vivemos a própria vida.

Não queira viver a vida do outro, ou mesmo controlar a vida do outro.

Viva a própria vida.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta