Conversa difícil consigo mesmo

Conversa difícil consigo mesmo

Você quer puxar as orelhas, dar uma dura, culpar, e às vezes humilhar.

É o tipo de conversa difícil e muitas vezes inútil que temos com os filhos. Os nossos pais, em algum momento fizeram isso com a gente, e podemos facilmente relembrar a confusão e o desconforto.

Você tem que modular a maneira como fala consigo mesmo.

Encoraje. Fortaleça. Aponte para o futuro, e não seja você o seu pior juiz.

Otimismo:

Olha para si mesmo com mais otimismo, imagine um futuro melhor e caminhe nessa direção.

Não fique ruminando coisas ruins sobre si mesmo. Não fique se cobrando além do razoável.

Somos humanos, erramos e somos capazes de aprender com nossos erros.

Quando ficamos dia após dia nos recriminando por alguma coisa que deu errado, estamos nos puxando para baixo devagarinho e assim vamos acabar no chão.

Olhe para novos projetos, respeite a si mesmo, acredite na sua capacidade e se trate com gentileza.

Outro dia um amigo me chamou para uma reflexão: se você disser para os outros o que diz para si mesmo pode acabar sem nenhum amigo.

Modere a conversa difícil e desconfortável que anda fazendo consigo mesmo.

Olhe para o seu passado de realizações e volte a acreditar que você pode.

Pense na ajuda possível que você pode ter dos amigos e familiares.

Não se esqueça de pedir para o seu Companheiro lá de cima, que está contigo quando ninguém mais está.

Sempre que pensamentos negativos e depreciativos sobre si mesmo pintarem na sua mente, dê uma parada – interrompa.

Pense nas possibilidades, olhe a vida para frente, e não amplifique os erros do passado.

Preste atenção nos elogios que recebe, no feedback positivo que tem recebido sobre o seu desempenho. Relembre a maneira carinhosa como os amigos se referem a você.

Se descarregue da negatividade e vai se sentir mais leve para caminhar rumo aos seus sonhos.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta