Consigo ver o quanto cresci.

Consigo ver o quanto já caminhei.

Olho para trás e faço as pazes comigo mesmo.

Aprendi a me admirar e reconhecer a força interna que tenho conseguido colocar a serviço do meu crescimento pessoal.

De tempos em tempos, temos que dar uma parada para refletir sobre o trajeto que estamos trilhando.

Os tempos foram realmente difíceis, mas consegui sobreviver.

Barreiras:

As barreiras pareceram intransponíveis, mas a luta incansável, um dia de cada vez, me fez mais forte, sereno e maduro.

Dou graças pelas inúmeras oportunidades de crescimento que me foram proporcionadas.

Antes de enfrentar os problemas de verdade, e isso veio bem cedo na minha vida, imaginava que a vida era repleta de lições leves, simples e agradáveis, assim como as lições do maternal – encaixar as peças colocar tudo dentro de uma caixa ou pintar um círculo.

A vida é no entanto, um mar de dificuldades, para mim e para todo mundo.

Mas temos uma força interna que nos impulsiona para realizar, para aprender e aprimorar.

Fé:

Temos ainda uma Força Superior que não nos abandona quando acreditamos que tudo está perdido.

Muitas conclusões fantásticas pude tirar desse trajeto pedregoso mas produtivo e sobretudo feliz.

Quanto mais caminhamos, mais preparados estamos para seguir caminhando e enfrentando as dificuldades.

As adversidades nos parecem enormes quando somos colocados frente à frente, mas elas perdem o poder de nos amedrontar quando mostramos a disposição para enfrentá-las de cabeça erguida.

E hoje, quando olho para trás, encaro cada adversidade, cada pedra no meu caminho como um degrau para o meu crescimento.

Olho para trás e vejo com serenidade e realidade o que é a vida.

É possível ser feliz – a despeito de tanta adversidade.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta