Conserte o que está quebrado.

As coisas, invariavelmente se quebram.

Devemos consertá-las.

Uma lâmpada queimada, uma cadeira descolada. Pode parecer coisa miúda, mas nos deparamos com todas essas coisas quebradas diariamente, o que certamente nos incomoda intimamente, sem que notemos.

Aprendi que quando notamos a coisa quebrada todas as vezes que passamos por ela, isso me traz um incomodo, mesmo que num nível imperceptível.

Fiz uma lista dessas coisas e passei a consertá-las uma a uma. Aquilo que não consegui fazer, tomei a providência de tirar da minha visão diária, de modo que não me incomodasse.

Tirar da vista pode ser o suficiente.

Um exemplo simples. Verifiquei que no lustre da sala de estar, uma lâmpada estava queimada. Como o lustre tinha 3 lâmpadas, isso não prejudicava muito a iluminação, mas me incomodava ver a lâmpada queimada. Troquei a lâmpada queimada.

Pequenas coisas podem fazer diferença no seu conforto. Uma torneira pingando nos incomoda todas as vezes que notamos que ela está pingando. Deixamos de lado e ela continua pingando, o que imperceptivelmente nos incomoda  sempre percebemos. Ocorre o mesmo com várias coisas. Uma camisa sem o botão, um azulejo descolando, uma mancha na cortina. Faça uma faxina, conserte ou tire das suas vistas o que está quebrado.

O que não tem conserto pode muito bem ser descartado.

Muitos de nós têm o péssimo costume de guardar coisas que não funcionam mais e não há quem conserte.

Se não quiser descartar, junte tudo numa caixa e coloque no fundo armário. Tire da vista.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta