Conheça a dor e a alegria de outra pessoa.

A outra pessoa é exatamente como você. Sentimentos, emoções, dor e sofrimento, alegria e contentamento, tudo isso acontece com ela também.

Observe com atenção.

Observe com o coração.

Observe com compaixão e misericórdia.

Observe os momentos alegres e se regozije também com o contentamento do outro.

A dor:

Reconheça a dor e o sofrimento e se compadeça.

Nos distanciamos das pessoas simplesmente porque não falamos mais de coração para coração.

Falamos de moda, de preferências gastronômicas, carreira e filhos, mas os nossos projetos pessoais, os objetivos de cada um acabam ficando fora da conversa.

Acabamos falando de tudo e de nada que nos diz respeito de verdade. Falar sobre o nosso caminho do crescimento simplesmente nem nos passa pela cabeça.

Estamos nos tornando excessivamente superficiais, especialmente porque temos medo de mostrar o nosso lado humano.

A minha vulnerabilidade, aparentemente não é da conta de ninguém, e no final, nem de mim mesmo.

Nos tornamos tão ausentes que nem nos reconhecemos mais.

Evitamos falar de nós mesmos e acabamos estranhando quando alguma conversa gira em torno da intimidade.

E não digo da intimidade relacionada com sexo, simplesmente falar de nós mesmos, sem falar dos outros ou de outra coisa qualquer.

Sensibilidade:

Esse tipo de comportamento, nos tira a sensibilidade para as coisas mais autênticas do ser humano, a dor e a alegria.

Não sabemos mais se o outro está feliz ou está em sofrimento. Perdemos essa capacidade de enxergar o coração de outra pessoa.

E não é só culpa nossa, pois os outros se comportaram da mesma maneira, se escondendo por detrás de uma capa de verniz.

Só para praticar, experimente ler um pouco a outra pessoa.

Perceba se ela está feliz ou infeliz e procure entender o que está acontecendo com ela.

Se tiver abertura para se aproximar e conduzir uma conversa íntima e sincera, está aí um caminho formidável revelado.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta