Compreender as limitações.

Aprendi ontem o quanto inflamos as nossas limitações.

Barreiras tão pequenas se tornam montanhas incontornáveis, e algo tão pequeno que não deveria nos preocupar ocupa a tela do nosso radar por completo.

Passei uma boa parte da tarde de ontem no pronto-socorro por conta de um pequeno acidente caseiro que afetou o meu dedo médio da mão direita.

Resultado, um tendão rompido e uma imobilização de 30 dias. Voltei para casa e a limitação parecia tomar conta totalmente das minhas preocupações.

Muitas dúvidas:

Como vai ficar o meu trabalho?

Como vou empreender aquele avanço na revisão do meu livro?

Como vou fazer para dirigir, comer, digitar, enfim, aquilo que faço todos os dias?

Foi preciso ser lembrado por um amigo, que o cientista Stephen Hawking, com o movimento de apenas um dedo e o auxílio de uma máquina que articula pouco mais de quinhentas palavras foi capaz de explicar teorias sofisticadas.

Me vi exatamente agora, em contraponto ao cientista, com limitação em apenas um dedo, reclamando da minha incapacidade miúda, insignificante e temporária.

Qual o impacto real da minha limitação?

Se eu analisar com cuidado e com honestidade, a minha limitação é realmente muito pequena, e não me impede de fazer praticamente qualquer coisa.

Posso digitar com menos desenvoltura, mas ainda assim, estou integro em praticamente tudo e apto e capaz para conduzir a minha vida cotidiana normalmente.

Insatisfação:

Estou reclamando do quê?

Qual foi a mudança radical que ocorreu com o meu dedo paralisado?

Como foi que a minha vida virou de cabeça para baixo por conta de um simples acidente caseiro?

Tenho que dar graças por ter sido premiado com uma simples imobilização temporária em um único dedo.

Agradeço ainda a possibilidade de ter aprendido a lição de que uma limitação isolada não vai limitar a minha vida.

R.S. Beco

1 Comentário

Denise T. Resende Pessoa

about 6 anos ago

Rubens, bom dia! Aprendi hoje com você o quanto a vida é ampla e generosa quando nos colocamos frente a ela com a disposição de evoluir. Extrair de cada vivência um aprendizado é algo muito grande, somente uma pessoa sensível e que observa com atenção os mínimos detalhes que envolvem um fato, conseguem captar a mensagem nele contida. Ter condições de agradecer até mesmo as adversidades é reconhecer a generosidade da vida e não se entregar às limitações que, quase sempre, são imputadas por nós mesmos, dando uma proporção tão maior aos acontecimentos, mais influenciada pelo exagero de nossa imaginação do que pela própria realidade que um fato representa. Muito obrigada por compartilhar sua forma de viver a vida. Um abraço afetuoso, Denise

Responder

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked