Como fazer para perdoar a si próprio

Como fazer para perdoar a si próprio

Perdoar é difícil, mas é gratificante. Quem já exercitou o perdão sabe do que estou falando.

Quando perdoamos os outros, fazemos um favor a nós mesmos. É uma decisão que nos afeta, no entanto, não temos qualquer garantia que os outros farão algo a respeito para melhorar a situação.

Mas quando perdoamos a si próprio, sabemos que temos que fazer algo para melhorar a situação e eventualmente tomamos uma ação nesse sentido.

Quando perdoamos, estamos limitar o poder que o agressor tem de nos ferir.

O que acontece quando o agressor somos nós mesmos?

Porque é tão difícil lidar consigo próprio?

Dr. Fred Luskin:

Dr.Fred Luskin, que dirige o Centro do Perdão na Universidade de Stanford na Califórnia, nos ensina que devemos sempre pesar na balança o ônus de não perdoar, a carga de sofrimento que decidimos continuar carregando.

Para Luskin, os músculos do perdão são como outro qualquer. Ficam flácidos quando não exercitados. É preciso exercitar.

Ao perdoar os outros, desejamos que eles não nos magoem novamente.

Ao perdoar a si próprio, temos que tomar uma atitude de não voltar a magoar a si próprio. Temos que fazer o dever de casa.

Os ensinamentos que o Dr.Luskin transmite para as pessoas que passam por aquele instituto é de entender plenamente a situação que levou ao mal estar, pois é o ponto de partida para chegar ao perdão.

Aliviando-se da carga de rancor, ressentimento, e o sentimento de vítima e de ofensa, podemos ser mais feliz.

Temos que entender para aceitar e assim estar em condições de praticar o perdão.

Entender-Aceitar-Perdoar, é a sequência.

Os médicos consideram que o ato de perdoar ajuda consideravelmente na recuperação de doenças associadas ao estresse, pois a carga de rancor e ressentimentos, quando não é a causa principal da doença, agrava muito as condições do paciente.

É bom lembrar que perdoar a si próprio tem a ver com eventos específicos.

Nada tem a ver com – se perdoar por ser o que é – gay – órfão – divorciado.

Tampouco tem a ver com o desleixo – perdoar por não fazer a cama, não colocar o lixo fora – não pagar as contas.

Não tem qualquer relação com aquela dor na consciência por não ter cumprido com suas obrigações.

Algo específico que você tenha feito, que merece reparo, e mais do que isso, merece perdoar a si próprio, amenizando a dor que você está infligindo a si próprio.

Rubens Sakay (Beco)

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta