Colecionamos pequenos ressentimentos.

Parece que não há nada de mais, afinal são tão pequenos, que não me sinto fraco ou culpado por colecionar pequenos ressentimentos.

No final, acabo com um montão de lixo emocional – um peso enorme no meu coração.

Tenho que me habituar a não fazer isso.

Se desejo colecionar alguma coisa, devo fazer com pequenos atos de bondade, pequenos momentos mágicos na minha vida.

Saúde:

Ressentimentos têm uma capacidade cumulativa e nociva na nossa saúde.

Uma reflexão para fazer antes de trazer qualquer pequeno ressentimento para a sua mochila: até que ponto isso é importante?

Temos que deixar ir as pequenas coisas, parar de fazer tempestade em copo d’água como nos ensinou Richard Carlson.

Diz Carlson que quanto mais atenção colocamos aos detalhes daquilo que nos aborrece, mais ele nos aborrece. Devemos assim tirar o foco da nossa atenção naqueles pequenos incidentes, totalmente sem importância.

Quanto mais rodamos a espiral mental, mais aumenta a bola de neve da negatividade.

Se conseguirmos detectar imediatamente o processo da espiral mental, podemos colocar um dedo dela e impedir que ela prossiga o movimento destrutivo.

Um pouco de cada vez:

Exercite com um incidente apenas.

Detecte um caso exatamente quando ele acontece e tire a sua atenção.

Você preparou uma festa de aniversário para si mesmo e convidou alguns amigos e familiares. Alguém faltou e sequer deu-se o trabalho de avisar. A espiral do ressentimento começa a se formar no evento do aniversário e continuará a se amplificar no dia seguinte e sucessivamente, toda vez que a sua memória passar pelo incidente.

Identifique o processo logo no início e deixe ir, deixe passar.

Se poupe desse fenômeno autodestrutivo tão comum, mas totalmente evitável.

Sinta a leveza no coração, se liberando de tanta toxina emocional.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked