Transformação Posts

Uma história positiva para contar.

Ao visitar alguém, tenha sempre engatilhada uma história positiva para contar. Leve alegria, procure contagiar as pessoas, e peça também por boas notícias.

Você vai ficar com a mente calibrada para fixar o positivo.

Se a outra pessoa engatar num rosário de coisas ruins, fofocas da vida alheia, use algum artifício para derivar para boas notícias. Percorra histórias positivas, sejam de pessoas conhecidas quanto desconhecidas.

Há sempre alguém do seu conhecimento que fez alguma coisa interessante, conseguiu realizar um sonho, e vale a pena contar essa história.

Transforme a ocorrência em experiência.

Toda vez que uma coisa boa te acontece, você tem a chance de transformá-la em uma boa experiência.

Como é que fazemos isso?

Quando um fato bom acontece, você pode perceber e não fazer mais nada a respeito e terá perdido a sua chance de agregar esse fato à sua memória de boas experiências.

Traga o fato para dentro de si, analisando cada aspecto bom, cada benção.

Usufrua desse fato em cada detalhe, transformando-o em experiência única e subjetiva. É como saborear um pequeno pedaço fantástico de chocolate.

Um dia melhor.

Se determine a transformar o dia de hoje, num dia melhor do que você próprio imaginou.

Faça algo que inesperadamente pode dar um toque especial no seu cotidiano – use a imaginação – recorra às coisas que gosta na sua memória – recupere algum projeto esquecido.

Temos o péssimo costume de procrastinar mesmo quando sabemos que aquilo que adiamos pode nos trazer bem estar.

O estomago apertado.

Aquela sensação estomago apertado.

É um aperto emocional. Veja o que está te incomodando emocionalmente.

Difícil controlar as emoções, e as substância químicas que são geradas provocam todo tipo de sensação, inclusive o aperto no estômago.

Entenda bem suas emoções, evite encobrir e procure as causas.

Não finja que isso não está acontecendo, não finja as emoções.

A vida perdida.

Conhecemos muitos exemplos de vida perdida. A vida não é perdida na morte, e sim na vida sem significado, desperdiçada em futilidades.

E a vida pode ser perdida muito facilmente, o que muitas pessoas constatam quando é tarde demais, quando a maratona está na reta final.

Seria uma coisa muito triste, saber ao final da vida, que jogou tudo fora, se preocupando com coisas que sequer são da sua conta, e acumulando coisas que não terão qualquer utilidade para onde vamos – o final de todos nós.

Coragem para ir além do conhecido.

Nos sentimos muito confortáveis no conhecido, e por isso resistimos tanto às mudanças.

Evitamos experimentar coisas novas e perdemos a chance de aprender, vivenciar experiências valiosas e conhecer pessoas que podem sim, se tornar amigos do peito.

Mas a insegurança e o medo estão sempre presentes. É o nosso ser ancestral falando, dizendo para ficar no conforto do conhecido.

Temos também o receio de enfrentar dificuldades inesperadas, e para isso, temos que nos encher de coragem, pois o futuro é desconhecido, e não queremos que ele seja uma repetição fiel do passado.

Mudando atitudes derrotistas.

Quando assumimos uma postura derrotista, já estamos entrando na partida para perder. A vida já nos derrotou.

Mas somos inteligentes e temos todos, a capacidade de mudar várias dessas atitudes derrotistas.

Escreveu Sam Russell sobre quatro dessas atitudes que se colocam no nosso caminho e são obstáculos à felicidade.