Segurança Posts

5 maneiras para ser mais feliz hoje mesmo, segundo professor de Harvard

5 maneiras para ser mais feliz hoje mesmo, segundo professor de Harvard

Hoje assisti um vídeo muito interessante de Tal Ben-Shahar, o famoso professor da Un. De Harvard, especialista no tema da Felicidade, e ele discorre sobre 5 maneiras para ser mais feliz hoje, e faço aqui um pequeno resumo, ao passo que encorajo todos a assistirem o vídeo no link que está no nome dele.

1-Se aceite ser humano. Há apenas duas pessoas que não experimentam as emoções sejam positivas ou negativas. Aquele que não sente a dor de uma perda, de duas uma, ou está morto ou é um psicopata. Se você não enquadra em nenhuma dessas condições, aceite quando se sentir triste ou alegre.

Troque o “do que” pelo “porque você tem medo”

Troque o “do que” pelo “porque você tem medo”

Inegável o desconforto quando você tem medo. O medo nos faz retroceder, a coragem nos impulsiona para avançar, vencer desafios, realizar os sonhos.

É bom saber trabalhar com o medo e a coragem. Coragem é fazer aquilo que se tem medo de fazer.

Não podemos evitar o perigo e as dificuldades, mas podemos lidar melhor com o medo.

A busca do solo firme.

A busca de solo firme debaixo de nossos pés traz sempre a insatisfação e a decepção de não ser capaz de encontrar tal conforto, lugar plenamente seguro.

Queremos um ponto de referência permanente, uma segurança de que estamos seguindo na direção correta. Para isso, quase sempre estabelecemos tal referência no mundo das coisas. Funciona bem para o projeto de carreira, o casamento, uma profissão bem sucedida. No entanto, aprendemos com o tempo que tudo isso é mutável, e no fundo, nem sabemos se tudo isso nos trará o conforto e a felicidade que tanto buscamos.

Não culpe as circunstâncias.

Não culpe as circunstâncias pelos seus fracassos ou resultados negativos.

Elas são parte da sua realidade e você tem que aprender a lidar com elas.

Enquanto culpamos as circunstâncias, não criamos as condições para que elas mudem e nos favoreçam.

O mundo que nos cerca é moldável, e temos que exercer esse poder que temos, para construir as situações que nos são favoráveis.

Sei que é a coisa certa a fazer.

Mesma sabendo a coisa certa a fazer, por vezes tive muito insegurança, e já me senti imobilizado diante dos meus problemas.

Hoje, procuro ajuda e não tenho receio de falar das minhas aflições. Aprendi também qual a medida da abertura que devo ter.

Sei que não devo alardear aos quatro ventos tudo que tenho passado. Sei também que devo preservar a minha privacidade. Isso porque muitos dos meus problemas se desdobram em outras pessoas que certamente não querem que coisas venham à tona.

Sair do fundo do poço.

Chegar ao fundo do poço e sair de lá é sempre uma questão que cabe reflexões.

Quem nunca se sentiu chegando ao fundo do poço.

As dificuldades que enfrentamos são de toda sorte, emocional, financeira, trabalho, convívio familiar e tantos outros setores da vida, e por vezes, parece que todos os astros do mal se alinham para te colocar numa situação de penúria.

Mas não tem nada não.

Os outros podem discordar.

É uma luta lidar com opiniões contrárias.

Acredito que seja para mim uma aprendizagem sem fim, um passo de cada vez.

Sempre tive essa deficiência de me achar o sabichão, e procuro elaborar bem as minhas ideias. Mas quando recebo opiniões contrárias, a minha mente entra em alta rotação. Procuro intensamente melhorar essa minha característica.

Não sou dos piores, mas estou muito longe do que chamo de mente aberta.