Revolta Posts

Não se deixe consumir pela raiva

Não se deixe consumir pela raiva

Temos muitos motivos para sentir raiva, é uma coisa natural que vem lá de dentro do nosso ser ancestral. No entanto, temos que atentar para o fato que a raiva pode consumir a própria pessoa, e temos que fazer alguma coisa para evitar.

É um mal que infligimos a nós mesmos, e fazemos mal ao ambiente e às pessoas à nossa volta.

Nos ensina Thich Nhat Hanh em seu livro “Aprendendo a lidar com a raiva”,

Desista do – bateu levou

Desista do – bateu levou

Não vá com tanta raiva contra o seu agressor. Evite o bateu levou.

A atitude do bateu levou afasta a felicidade.

A atenção exagerada para o que vem de mal nos impede de ver o que vem de bem.

Nos preocupamos tanto com os defeitos dos outros que não percebemos suas qualidades.

Estar preparado para responder com o mal nos força a carregar um saco de maldades permanentemente, e quando estamos com o espírito faminto, nos alimentamos daquilo que carregamos.

Uma coisa negativa não compensa outra negativa.

Olho por olho vai deixar uma terra cheia de cegos.

A reciprocidade negativa, ou seja, devolver algo negativo na mesma moeda é algo que nos empobrece, nos torna pessoas piores.

Não devemos acreditar que revidar um maltrato com outro no mesmo tom vai nos beneficiar de algum modo.

Um comentário negativo, uma crítica ácida, tudo isso acaba virando uma bola de neve de desconforto.

Um gesto negativo também não clama por outro negativo.

A primeira coisa que me vem na mente.

Quando estou com raiva, a primeira coisa que me vem à mente é logo rebater, revidar.

Tenho que entender que isso é natural e não devo me recriminar, mas devo me controlar, contar até dez e permitir que a serenidade e a calma venham logo para me ajudar.

Tenho que desarmar a bomba que há dentro de mim, e assim não preciso me preocupar se ela vai ou não explodir.

Corpo e mente são inseparáveis, e a raiva e o estresse cobram um pedágio enorme na nossa saúde física.

Indignação com Deus.

Há momentos em que a dor é indescritível, a perda irreparável de um familiar próximo, uma separação, uma doença incurável dentre outras situações.

Mesmo sendo pessoas espiritualmente enriquecidas, pode ser inevitável sentir uma raiva incontida, um desconforto enorme, e até uma indignação com Deus.

Não se preocupe, Deus vai te entender.

Um coisa que aprendi e procuro praticar para não me esquecer, é o exercício da compaixão. E procuro fazer sempre para fazer melhor a cada dia.