Resultados Posts

Se trate com honestidade

Costumamos dizer que nós somos os nossos piores juízes, pois somos excessivamente duros quando olhamos para os nossos erros, dúvidas e conflitos.

Nos sentimos particularmente diminuídos à menor percepção de que não estamos nos igualando aos outros em alguma característica social ou econômica.

O carro do outro nos incomoda, a casa, o casamento, a carreira, o status e o reconhecimento social, tudo vira ingrediente de comparações intermináveis.

Mas isso tem solução, e se seguirmos algumas recomendações, podemos levantar a nossa autoestima e se tratar com mais gentileza e honestidade.

Não queira ser brutalmente honesto consigo mesmo, pois assim estará cruzando a linha da crueldade.

Seja leve, se olhe com um olhar bondoso e compassivo, sem se criticar, sem apontar o dedo para as feridas, assim como fazemos com os outros.

Não analise os conflitos e erros, se colocando como culpado em primeira instância. Deixe alguma dúvida para trabalhar depois.

Quando fizer uma análise de si mesmo, se fixe em um aspecto específico, sem generalizar, pois do contrário acaba sendo presa fácil para a condenação pelo conjunto da obra.

Comece analisando as suas virtudes e forças e se dê conta de tudo que você fez para que um determinado projeto resultasse vitorioso, e só depois disso, passe para os erros, negligências e fraquezas.

Analise as situações, as lições que você aprendeu e tudo aquilo que você pode melhorar.

Enumere os fatores que estão provocando o seu insucesso e analise aquilo que está no seu controle. Faça o que está ao seu alcance e não queira mudar o mundo e nem deseje uma situação ideal.

O mundo não é justo e nem por isso você precisa se recriminar.

Ao final da sua avaliação honesta, seja corajoso, não desista com facilidade e escolha ser feliz nessa caminhada.

Rubens Sakay (Beco)

Com muita sede ao pote

Com muita sede ao pote

Não vá com muita sede ao pote e não coloque muita vontade nas coisas.

Pode parecer um contra censo, pois é claro que se empenhar de coração nas coisas que faz, faz mais sentido e no final podemos ter melhores resultados. Mas devemos fazer isso com seletividade, nas coisas que realmente damos valor. Quando nos empenhamos desmesuradamente e generalizadamente, temos uma maior chance de nos decepcionarmos.

Quando se diz:  não vá com muita sede ao pote” que dizer que na ansiedade você pode derramar a água toda, ou mesmo deixar o pote cair e se quebrar.

Mas não é só isso, a ansiedade na busca pode embotar sua visão te limitando de apreciar a vida enquanto busca as coisas que ainda não tem.

Querer muito uma coisa pode levar também a não aceitação de resultados parciais e menores, e quando o resultado for atingido, a frustração pode impedir que esse resultado seja plenamente apreciado.

A escolha clara

Quando ponderamos com serenidade, um pouco descontaminados da forte emoção do momento, podemos enxergar melhor as nossas escolhas.

Escolher com clareza é colocar as coisas nas devidas proporções, não descuidando de si mesmo, das prioridades permanentes da vida, a saúde, a família, as amizades, a segurança financeira e pessoal.

Quando estamos no calor das emoções, não raro, assumimos escolhas e tomamos decisões erradas das quais nos arrependemos posteriormente. Quando procuramos uma descontaminação do calor do momento, encontramos a calma para decidir e escolher com mais segurança, sem arrependimentos.

Uma decisão responsável considere a seriedade da vida, única e inalienável. A vida é sua para cuidar, para se viver plenamente, e não podemos negligenciar e jogar no lixo as oportunidades de fazer direito, pensar com calma e decidir o melhor para nós mesmos.

Tudo aquilo que adoramos, o conforto material, o convívio com amigos e familiares e mesmo os prazeres incontáveis que o mundo moderno nos oferece, deve ser usufruído com responsabilidade, sem dano aos outros e a si mesmo.

Quando trazemos o tempero da responsabilidade para o campo das decisões, e damos tempo suficiente para a nossa mente maturar, as escolhas podem se tornar mais claras.

Cada momento é único e cada decisão envolve diferentes circunstâncias, e temos que viver e decidir com seriedade, e feito isso, a vida se torna menos complicada.

O final do ano vai chegando e podemos sempre incorrer no velho e nocivo hábito da procrastinação, empurrar com a barriga, deixar para depois, e temos que aprender a evitar esse péssimo costume.

Assim como a calma traz clareza às nossas decisões, precisamos colocar calor e energia nas nossas ações, fazer o que tem que ser feito e transformar as nossas escolhas em realizações.

Rubens Sakay (Beco)

Coisas boas – você merece

Imagine o melhor para você, coisas boas acontecendo de montão.

Afaste a negatividade e acredite mais no seu taco, confie que vai dar certo.

Sei que as dificuldades podem ser enormes e os problemas que vem por atacado, mas uma coisa por vez e você passar por tudo isso.

Não queira mudar a sua realidade num passe de mágica, as coisas acontecem lentamente e alguns resultados demoram a aparecer. Mas não devemos nos desanimar, nem com as circunstâncias nem consigo mesmo.

Mesmo com tantas limitações, eu sei que você é capaz de fazer a sua parte, aceitar a sua responsabilidade.

Não peça por grandes milagres, mas aprenda a perceber os pequenos milagres que acontecem contigo todo momento.

O milagre de acordar, de sentir o ar se enchendo de ar fresco, perceba plenamente tudo isso acontecendo contigo neste momento.

Não sei se é a velhice chegando, ou o aprendizado que aproveitei, mas hoje em dia enxergo as coisas boas chegando em quantidade, e imagino muito mais para o futuro.

Sei que não sou uma pessoa perfeito e ainda luto para melhorar, mas também sei que mereço tudo que estou recebendo. Não relaxei, não roubei e procurei ajudar quem estava precisando. Também não descuidei das minhas responsabilidades na vida, que são muitas.

Olho para o trajeto que já cumpri com muita satisfação e gratidão. Olho para o que vem pela frente com muito entusiasmo e otimismo. Sei que posso mais, mereço e vou receber.

Gosto das pessoas que me cercam, amigos e familiares e tenho a forte sensação de que não vou terminar só. Me esforço bastante para me tornar um idoso agradável, querido, e não uma carga indesejável para os meus familiares.

O futuro promete muita coisa boa, e vou fazer por merecer cada coisa que estiver no meu caminho.

Rubens Sakay (Beco)

Pequeno e simples progresso

Temos que aproveitar a nossa evolução mesmo quando damos um pequeno passo e fazemos um simples progresso.

Nada na vida deve ser desprezado, e uma pequena graça, ainda assim deve ser recebida com as mãos abertas em profunda gratidão.

Quem agradece o que recebe está pronto para receber mais.

Não devemos jamais desanimar quando o progresso é pequeno, pois uma longa caminhada é composta de milhares de simples passos desempenhados com diligência e constância de propósito.

Tampouco devemos questionar severamente a nossa competência quando olhamos para o resultado modesto que conseguimos. Por outro lado, não prego o conformismo e a aceitação de resultados insatisfatórios. Temos sim que procurar um melhor desempenho todos os dias, sendo honestos e generosos consigo mesmo.

A vida é de luta, e o nosso dia começa resolvendo problemas, agendando tarefas e correndo atrás das prioridades, e nem sempre o resultado chega rapidamente. Temos que ter paciência e nos contentarmos quando os resultados chegam picados, um pouco de cada vez.

Aquele velho sonho de trabalhar pouco, pensar pouco e realizar um mundo de coisas, ganhar uma montanha de dinheiro, não encontra paradeiro na nossa realidade.

Muitas vezes, o esforço diário é premiado com parcos resultados. Temos que confiar no futuro e nas sementes que plantamos.

Já sou um sexagenário e sei bem o que é isso. Fiz planejamentos detalhados de muitas etapas da vida, e inúmeras foram as oportunidades em que me encontrei desanimado comigo mesmo.

Será que não me dediquei o bastante?

Deveria ter estudado mais?

Deveria ter persistido um pouco mais?

Hoje sei que as coisas não andam na velocidade do meu planejamento e não atendem a vibração da minha ansiedade, mas mesmo assim, acredito na vida, acredito no futuro, e mais do que isso, acredito em mim mesmo.

R.S. Beco

Sinta as possibilidades

Quando estamos por empreender alguma coisa, temos a exata sensação de que vai dar certo.

Sinta as possibilidades, e a energia que brota daquilo que está por empreender, e deixe essa energia te estimular a dar o melhor de si nessa empreitada.

Ao sentir que é possível realizar, você está a meio caminho, o resto é tocar adiante, realizar as tarefas uma a uma.

O resultado final é composição de cada pequena tarefa, e não devemos descuidar de nenhuma, por mais simples que seja.

Quando raciocinamos, avaliamos, priorizamos, planejamos e damos condições práticas para que realizemos o intento.

Quando sentimos a possibilidade, nós nos engajamos, nos motivamos e colocamos o nosso coração no projeto.

Perceba a visão, o propósito o sentido naquilo que está fazendo.

Sinta a beleza nas suas tarefas, mesmo aquelas mais simples.

Se dê conta de que você nunca está sozinho. Há sempre uma proteção Superior.

Quando pensamos na possibilidade, não descartamos as inúmeras dificuldades que vamos encontrar no caminho. O entusiasmo e a motivação nos colocarão em forma e prontidão para enfrentar o que vier.

As coisas podem se mostrar especialmente difíceis, e é preciso humildade para pedir ajuda e aceitar ajuda quando necessário.

A maior parte dos projetos não chega ao final com resultados adequados por duas razões: nós nos colocamos de maneira muito prepotente diante das empreitadas, e ainda menosprezamos as dificuldades. Ambas as razões foram brilhantemente apontadas por Daniel Kahneman que ganhou o Nobel de Economia.

Temos que acreditar nas nossas capacidades, mas não podemos inflá-las ou vamos dar com os burros n’água.

Devemos enxergar as possibilidades de vencer as adversidades, mas minimizá-las não vai facilitar as coisas.

Acredite em si mesmo e seja honesto nas suas avaliações e tudo vai dar certo.

R.S. Beco

Esforço recompensado

O esforço é recompensado na maioria das vezes. Pode levar tempo, mas o resultado vai acontecer.

Seja num mar calmo ou mar revolto, coloque o seu foco na direção correta, e continue remando. Não perdemos nada por perseverar, resistir às intempéries.

Não deixe que pequenas dificuldades tirem a sua atenção, e não se deixe desanimar quando alguma coisa dá errado.

Não pare para culpar, se culpar ou praguejar contra quem quer que seja. É tempo desperdiçado, e você vai perceber isso muito rapidamente.

Lembre-se que é o esforço que vai te levar até o seu destino, e não as lamentações ou inquirições sem fim.

O esforço faz a diferença. O tempo que perdemos parados entregues à ruminação, perdemos a dianteira, perdemos o foco e comprometemos os nossos planos.

Preste atenção nos mínimos resultados, pequenos avanços e não se deixe abater.

A nossa caminhada é de altos e baixos, e temos que tirar lições de tudo que nos acontece.

O cansaço pode te atingir, mas saiba que sempre é possível ir pouco além, e acima daquele morro adiante, a visão do horizonte fica mais claro e mais animador.

Somos movidos a estímulos, e muitas vezes temos que animar a nós mesmos. Faça isso com frequência, pois na maioria das vezes, estamos na luta sozinhos.

Olhe para o espelho, valorize o seu esforço e levante o seu ânimo.

Sempre que iniciamos alguma coisa, parece que a carga é muito pesada, mas ao passo que caminhamos e seguimos em frente, nos acostumamos com o peso, nos fortalecemos e mostramos mais desenvoltura.

Procure se recompensar, se cuide bem e se trate com generosidade.                                                   R.S. Beco

Pode não acontecer hoje

Ficamos ansiosos para que tudo tenha o desfecho imediato, mas pode não acontecer hoje, e temos que desenvolver a paciência e a serenidade para aceitar o ritmo da vida. Não devemos apressar o rio que ele caminha sozinho.

Nem tudo acontece conforme os nossos desejos, e os resultados podem sair um pouco diferente do planejado, mas temos que aceitar o bom e evitar o perfeccionismo.

A perfeição é um objetivo inatingível como nos ensina a prof. Alice Domar da faculdade de medicina de Harvard. Quando elegemos a perfeição como um objetivo, estamos escolhendo o caminho da constante insatisfação e decepção. Nunca estaremos satisfeitos pois a perfeição nunca será atingida.

Quando construímos uma estrada, temos uma noção boa de quantos metros vamos progredir por dia, mas nem todos os dias são iguais, e o que não acontece hoje, pode acontecer amanhã, e temos que aceitar a vida com os altos e baixos.

Entenda o progresso como uma coisa pouco constante, mesmo com todo planejamento.

Mesmo que o nosso esforço seja constante, os resultados podem se mostrar diferentes, pois muitos são os fatores que levam a eles.

Dependemos de muitas pessoas, do tempo e da disponibilidade de recursos.

Aceite o que vem como resultados, mesmo que estejam um pouco aquém do desejável.

Quando erramos feio, temos que refazer o planejamento, calibrar as nossas expectativas e aprender a lição e corrigir o percurso.

No entanto, muitas variações acontecem por conta de elementos totalmente imprevisíveis, e temos que aceitar.

Não devemos desistir diante de um resultado insatisfatório, amanhã pode ser melhor.

R.S. Beco

Não tenho as respostas

Me pergunto às vezes porque algumas pessoas padecem e lutam tanto. Mesmo quando demonstram um caráter irreparável, encontram sempre um caminho íngreme e espinhoso.

Não tenho as respostas, mas de tudo que sei, fica a impressão de que as dificuldades mais extremas são colocadas diante de pessoas mais capazes, mais fortes e resilientes, enfim, pessoas que darão conta da empreitada.

Se as maiores dificuldades do mundo fossem colocadas na mão de pessoas fracas, nunca teríamos nos livrado da escravidão, da tirania e da ignorância.

Quando as dificuldades em tamanho encontram a fortaleza de pessoas de bem, podemos ter o fim do apartheid, o fim da discriminação racial e da guerra.

Antigamente olhava para cima e perguntava porque eu tinha tão pouco, mesmo me dedicando tanto.

Hoje sei que rico não é quem tem muito, mas quem precisa de pouco.

Continuo com muito pouco e sou feliz, não porque sou conformado, mas porque aprendi que encontramos a felicidade com mais frequência quando caminhamos leve, sem muita carga.

Assim como aquele que caminha a pé pela estrada e se permite sair uns metros e apreciar a natureza, beber a água fresca numa fonte pura e cristalina, enquanto o outro viaja com o seu caro, luxuoso e pesado veículo que só trafega em pavimento sólido e uniforme.

A flexibilidade exige leveza, e aquele que é muito rígido nos seus conceitos acaba por engessar o próprio caminho.

Me conformei em não ter todas as respostas e também a não fazer tantas perguntas.

A vida é boa, e aprendi, vivendo sem complicações, que devemos aproveitá-las todos os dias.

Não há dias bons e ruins totalmente. O que é bom tem algo de ruim e vice-versa.

R.S. Beco

É um bom começo.

Devemos evitar a imobilização, amedrontados pelo tamanho da jornada. Comece pequeno, e se contente em fazer um pouquinho de cada vez.

Dê um pequeno primeiro passo, e faça o que está ao seu alcance.

O início do ano é sempre inspirador começar algo que temos protelado. Uma dieta, exercício físico, reatar relacionamentos, resolver conflitos familiares crônicos.

Comece pelo começo. Pode parecer evidente, mas sem planejamento, começamos no meio, nos frustramos com os primeiros resultados e paramos aí.

Faça um mínimo planejamento, enumere as tarefas, etapas e comece como puder.

Não espere a condição ideal para começar, pois ela pode nunca aparecer, e afinal, você já inventou desculpas demais para não começar.

Pense em si próprio, nos benefícios, na autoestima, no futuro. Não fique pensando muito, pesando argumentos desnecessários, e comece pra valer.

Ao dar o primeiro passo, pare, aprecie a sua coragem em começar, foque o segundo passo e siga adiante.

Não pense muito na longa jornada, mas tenha sempre em mente o grande objetivo, ele vai te estimular para seguir caminhando.

Algumas empreitadas são especialmente difíceis, como abandonar um hábito tóxico, o fumo, a bebida, mas exatamente nesses casos, começar com um passo pequeno (baby steps) é a recomendação segura.

Faça com segurança e com vontade, como o bebê que se levanta e avança o pezinho para frente.

Não cobre de si tanta perfeição, o mundo não vai perceber.

Não fique deprimido se falhar e falsear em alguns momentos, afinal tropeçamos e nos levantamos – assim é a vida.

Mantenha a cabeça erguida, o olhar para frente e não desanime.

Perseveramos, lutamos, e um dia de cada vez, somos felizes enquanto tudo isso acontece.

R.S. Beco