Ressentimentos Posts

O poder que os outros têm de te ferir.

Isso é algo que você pode controlar.

Quando somos escravos da raiva e do ressentimento, somos muito mais vulneráveis às ofensas.

É muito comum pensarmos em revide, vingança, dar o troco, e tudo isso é ingrediente que alimenta a ferida.

Deixe a ferida se fechar rapidamente, utilizando o medicamento infalível para essa situação, o perdão.

Algumas pessoas são muito doídas, e se sentem machucadas por pouca coisa – na mesma proporção, têm dificuldade de perdoar as mínimas ofensas.

Quando deixamos passar, o evento perde o poder de dominar a nossa mente. A pessoa que provocou o evento perde o poder de nos ferir.

É claro que existem situações de muita violência, atos criminosos e abuso físico, e os traumas recorrentes podem requerer ajuda profissional, mas no cotidiano, as receitas caseiras podem funcionar muito bem.

Não alimente os pensamentos negativos te dominarem e afaste o círculo vicioso – raiva – ressentimento – desejo de vingança – revide.

Dê menos atenção.

Até que ponto isso é importante?

Estou mesmo ferido, ou é apenas um arranhão insignificante.

Devemos seguir adiante, reconstruir a confiança e os relacionamentos, pois nos sentimos feridos até pelas pessoas que mais amamos.

Cabe a nós permitir que isso se transforme num cavalo de batalha, e atormente a nossa vida por completo, ou seja apenas um vento mais forte que quebra alguns galhos, derruba alguns frutos, mas vai embora ao final do dia.

Beco

Tire o pensamento vingativo da cabeça.

Na verdade você não vai se vingar. Está insuportavelmente contrariado, e fica pensando mil maneiras de se vingar, fazer alguma maldade para a outra pessoa.

Toda vez que você se lembra, o pensamento retoma do ponto anterior, num rosário interminável de rancor e ressentimento.

Funciona como uma coroa de espinhos que você confeccionou para colocar na sua própria cabeça, e que você tira, guarda no armário, mas quando se lembra a coloca na cabeça, numa atitude masoquista, causando dor a si próprio.

Abandone a coroa de espinhos.

Privilegie os mecanismos da felicidade e não os do sofrimento.

Pense mais em aliviar a sua própria dor e menos em infligir dor aos outros.

É natural que o sentimento negativo nos impacte quando alguém nos faz algum mal.

Quando isso acontece, como diz Thich Nhat Hanh, devemos observar esse sentimento negativo, aceitá-lo como parte de nós mesmos e permitir que ele suba a escada do sótão da nossa mente e por lá fique, sem nos perturbar a todo o momento.

Aceite o seu ferimento, mas não jogue sal na sua ferida.

Deixe que ela cicatrize.

Beco

Livre-se da culpa.

Livre-se da culpa de uma vez por todas.

Uma carga enorme de infelicidade tem a ver com este sentimento. Tanto faz se nos sentimos culpados, quanto culpamos alguém.

No fundo, isso tem a ver com a nossa prepotência.