Rendição Posts

Rendição

Rendição

Se renda para vencer.

Rendição é uma palavra que não aprendemos a articular.

Desde criança, fomos ensinados que a vida é uma luta, e que nada vem de bandeja.

Por tudo que já vivemos, a palavra rendição soa fraqueza, desistência, submissão e derrota – enfim, nada do que queremos.

Povos lutaram pela liberdade e outros lutaram para não serem conquistados.

Sabemos ainda que passividade nunca levou ninguém a lugar algum.

Se render para vencer.

É um paradoxo essa questão de se render para vencer.

Guardo a imagem de que a rendição significa a escravidão, certamente fruto das minhas brincadeiras de mocinho e bandido, dos filmes de cowboy. Quem se rendia, tinha que se submeter, se tornava escravo do vencedor.

Mas na vida real, na luta do cotidiano, aprendi que se render, em muitos aspectos significa a liberdade.

Indignação com Deus.

Há momentos em que a dor é indescritível, a perda irreparável de um familiar próximo, uma separação, uma doença incurável dentre outras situações.

Mesmo sendo pessoas espiritualmente enriquecidas, pode ser inevitável sentir uma raiva incontida, um desconforto enorme, e até uma indignação com Deus.

Não se preocupe, Deus vai te entender.

Um coisa que aprendi e procuro praticar para não me esquecer, é o exercício da compaixão. E procuro fazer sempre para fazer melhor a cada dia.

Me dar permissão para largar o peso.

Carregamos tanto peso nos ombros quem nem sabemos mais o que é andar leve e solto.

Mas temos uma escolha importante – se dar a permissão para largar uma boa parte desse peso.

Temos que deixar cair aquela carga inútil que carregamos e que não contribui em nada para o nosso crescimento, e nem vai tornar o mundo um lugar melhor para se viver.

Grande parte dessa carga que assumimos é fruto da nossa prepotência.

Batalhas que nunca terminam.

Tem coisa que é para a vida toda.

Coisas boas e outras não tão boas.

Às vezes é uma batalha que nunca termina, é uma doença incurável, um relacionamento em família, algo que pode não acabar mesmo.

Ficamos loucos para dar fim, mas simplesmente não é assim.

Temos que parar de lutar e aceitar.

Já comentei aqui: o que resiste, persiste.

Se é para a vida toda, e não há o que possamos fazer para remediar, o melhor a fazer é aceitar.

A Internet, e a blogsfera estão repleta de experiências de pessoas que carregam uma cruz para a vida toda e nem por isso perderam a vontade de viver e ser feliz. É a aceitação.

A aceitação é a chave para nos liberarmos dessa carga.

A aceitação é a rendição frente a uma batalha que não vai terminar, e não faz nenhum sentido seguir lutando.

Às vezes travamos uma batalho consigo próprio querendo mudar algo que está totalmente fora do nosso controle. Não podemos simplesmente nascer de novo, do jeito que queremos.

Quando adolescentes, temos muito dessa angustia de travar batalhas sem nenhuma finalidade, com os nossos pais, com o sistema e conosco mesmo. Mas ao amadurecermos, isso não faz mais sentido.

A vida se torna mais fácil e fluida quando aceitamos melhor as coisas e deixamos de lutar contra si próprio todo tempo.

Nos todos cometemos erros, e quando caímos, temos que ser o primeiro a se ajudar.

Quando estamos travando uma batalha sem fim consigo próprio, somos o primeiro a se boicotar.

Fazemos isso quando baixamos a cabeça.

Fazemos isso quando baixamos a auto-estima.

Fazemos isso quando nos deixamos tomar pelo medo.

Fazemos isso quando nos culpamos.

Se aceite, se poupe, se ajude e seja feliz.

Beco

Rendição.

Rendição é uma palavra que não aprendemos a articular.

Desde criança, fomos ensinados que a vida é uma luta, e que nada vem de bandeja.

Por tudo que já vivemos, a palavra rendição soa fraqueza, desistência, submissão e derrota – enfim, nada do que queremos.

Povos lutaram pela liberdade e outros lutaram para não serem conquistados.

Sabemos ainda que passividade nunca levou ninguém a lugar algum.

Mas a rendição, no conceito filosófico tem a ver com a atitude de se render ao fluxo da vida. A atitude de não lutar contra algo que está fora da nossa capacidade.

Nos estressamos tentando mudar coisas que estão fora do nosso alcance.

Mudar as pessoas, mudar o passado, mudar o mundo – devemos nos render a isso tudo.

Especialmente quando estamos diante de um problema de grandes proporções é que mais precisamos da serenidade.

Os problemas pessoais e familiares se encaixam perfeitamente nessa categoria, pois nos atingem emocionalmente em cheio.

A rendição é a chave para a sobrevivência, é a chave para a serenidade.

Nunca é demais relembrar a oração da serenidade:

“Deus, concedei-me a serenidade para aceitar as coisas que não posso modificar, coragem para modificar aquelas que posso e serenidade para perceber a diferença.”

Beco