Relacionamentos Posts

Casar com o príncipe encantado

Casar com o príncipe encantado

Muitas pessoas acreditam que a felicidade plena acontecerá quando casar com o príncipe encantado, assim como a Cinderela na história infantil.

Mas a história infantil acaba sempre com os dizeres finais: “e assim, viveram felizes para sempre”.

Sabemos que a vida real não é um passeio no parque. É uma rosário de problemas para todos os gostos.

Regras impraticáveis

Regras impraticáveis

Muitas vezes cometemos esse descuido de impor regras impraticáveis para os outros e para nós mesmos.

Impor que o seu marido alcoólico beba com responsabilidade toda vez que forem a uma festa.

Impor que seu filho chegue exatamente dentro do horário, sem qualquer tolerância.

O primeiro beijo é mágico e o segundo…

O primeiro beijo é mágico e o segundo…

Dizem os estudiosos que explicam a adaptação hedônica que o primeiro beijo é mágico, o segundo é íntimo e o terceiro é rotina. O ser humano tem a capacidade de se adaptar a tudo, coisas boas e ruins. Essa capacidade provoca uma letargia aos relacionamentos amorosos, que em muitos casos acaba em infidelidade.

Compaixão com a pessoa que está em sofrimento

Compaixão com a pessoa que está em sofrimento

Ajudar os outros pode ser um instinto natural, de sobrevivência da raça humana, e quando nos deparamos com uma pessoa em sofrimento, o sentimento adequado é a compaixão.

Não é sentir pena, indignação ou impotência.

Compaixão significa sentir você mesmo a dor da outra pessoa e querer que essa dor cesse.

Não se deixe consumir pela raiva

Não se deixe consumir pela raiva

Temos muitos motivos para sentir raiva, é uma coisa natural que vem lá de dentro do nosso ser ancestral. No entanto, temos que atentar para o fato que a raiva pode consumir a própria pessoa, e temos que fazer alguma coisa para evitar.

É um mal que infligimos a nós mesmos, e fazemos mal ao ambiente e às pessoas à nossa volta.

Nos ensina Thich Nhat Hanh em seu livro “Aprendendo a lidar com a raiva”,

A vida continua e o futuro será melhor

A vida continua e o futuro será melhor

Vivemos tempos muito estranhos, e verdades são questionadas severamente, mas temos que acreditar no nosso futuro, mesmo quando a tempestade ao nosso redor revolva tudo que a sua visão consegue alcançar.

O que a ciência diz sobre o amor real

O que a ciência diz sobre o amor real

Temos que acreditar e investir no amor real pois ele é tudo de bom. Sabemos hoje dos incontáveis benefícios não só no aspecto social quanto físico e emocional. O amor tem várias fisionomias, e qualquer que seja a sua apresentação, acho que o amor é o máximo. O amor conjugal, fraterno, materno, e principalmente aquele que podemos praticar a todo momento.

O amor é sutil, é uma profunda satisfação quase sem explicação, e não vale a pena tentar explicar, pois a racionalidade não alcança essa sutileza.

O nosso dia a dia é uma correria, onde a expressão dos sentimentos é quase uma coleção de pequenos fragmentos. Mas sei que experimentar alguns momentos de amor profundo te permite ir e vir na profundeza do seu eu. É como ir lá no fundo beber um pouco da energia para subir e seguir conduzindo a vida de forma mais leve e revigorada.

Amor real

Diz Dr. Greg Baer, um médico que escreve sobre o tema amor, que o amor real, o amor genuíno, é aquele que quer a felicidade do outro sem esperar qualquer coisa em troca. O amor é uma profunda expressão