Reflexão Posts

Sutil arte de ligar ou desligar

Sutil arte de ligar ou desligar

A sutil arte de ligar o F, na minha visão é a arte deliberada de se desligar de uma porção de coisas que não nos diz respeito. É um recurso valioso para reduzir o estresse e aprender a cuidar mais de si mesmo. Tirar o foco em outras pessoas. Este é o melhor ensinamento de Mark Manson no seu best-seller.

A sutil arte de ligar o F é se desligar:

O título do livro de Manson parece ofensivo, algo que não gostaríamos de ouvir numa conversa séria em família. Na verdade o título adotado no Brasil confunde um pouco o sentido que o autor deu à sua abordagem.

O nome correto do livro, e que traduz o “I gon’t give a f*ck”, seria “Eu não dou a mínima”.

Na explicação detalhada do autor, vem o ensinamento precioso de aprender a se importar com as coisas que realmente importam.

Meu vizinho comprou um carro mais bonito que o meu: “Eu não dou a mínima”.

O meu cunhado conseguiu um emprego melhor que o meu: “Eu não dou a mínima”.

Porque?

Uma recomendação para descobrir se você está se importando por muita coisa boba, é se perguntar porque você se importa com alguma coisa, e veja o que você descobre.

É bem provável que você chegue à conclusão de que está colocando muita coisa no seu radar que não deveria estar lá. Carregando muita coisa na sua mochila que não é seu negócio; pedras, peso morto, ferro-velho.

Veja se tudo isso não é motivado por insegurança, egoísmo, inveja e outros sentimentos negativos.

Um herói crítico:

Manson comenta sobre o “Disapointing Panda”, o herói que ninguém quer ter, aquele que fica te criticando no bom sentido, apontando para aspectos duros da sua vida. Ninguém precisa de um herói como esse, mas todos deveriam representar esse papel consigo mesmo. 

Se ligue naquilo que te diz respeito:

Não dar a mínima, na leitura de Manson não quer dizer se desligar de tudo, deixar tudo correr solto.

É na verdade se importar com aquilo que é a sua vida, e deixar a vida dos outros em paz.

Como já comentei em postagem anterior: Cuide mais da sua vida.

Se ligue em si mesmo.

Rubens Sakay

 

O positivo é uma escolha

O positivo é uma escolha

Temos uma mente catastrófica que adora grudar no negativo, e por isso se diz que o positivo é uma escolha. Temos que nos vigiar para não nos algemarmos às coisas negativas que nos acontecem. As coisas positivas são muitas, mas a nossa mente age como velcro para negativas e como teflon para as positivas.

65 anos

65 anos

Completei ontem 65 anos e sei que hoje estou mais perto dos setenta.

Passei o dia de ontem completamente absorto no meu envelhecimento, nas coisas que tenho praticado e experimentado nos últimos trinta anos.

Muitas coisas perderam completamente a importância, outras ganharam muito espaço no meu radar, e outras tantas foram relativizadas.

Feliz em 30 segundos

Feliz em 30 segundos

Seja feliz em 30 segundos. Não vou passar nenhuma fórmula mágica, mas experimente essa receita e me diga se não dá resultado. Faça agora mesmo, e faça de maneira honesta e compenetrada.

Tudo que aprendemos

Tudo que aprendemos

Tudo que aprendemos é fruto das experiências que vivemos.

Temos que valorizar cada passagem de nossa vida, seja ela boa ou sofrida.

De repente somos atingidos por notícia ruim, uma perda, um sofrimento. Nada na nossa vida vem por acaso, e tudo vem para nos ensinar alguma coisa.

A vida é uma benção

A vida é uma benção

A vida é uma benção e temos que exercitar esse pensamento, essa atitude de gratidão.

Quando estamos nos sentindo infelizes, devemos olhar para cima e contar as bênçãos recebidas.

É possível que tenhamos nos esquecido da abundância da vida e de quanto temos sido abençoados com tanta coisa boa que recebemos.

Legado Pessoal

Legado Pessoal

Você já refletiu sobre o seu legado pessoal

O que deixamos para trás quando deixamos esta existência?

Como seremos lembrados?

Como gostaríamos de ser lembrados?