Proteção Posts

A zona de conforto pode te isolar, mas também pode te proteger

A zona de conforto pode te isolar, mas também pode te proteger

Todos nós pensamos numa zona de conforto, especialmente quando nos sentimos em crise ou ameaçados. Não devemos nos isolar por qualquer coisa, nem ativar o espírito de ermitão.

Mas quando nos sentimos tristes e deprimidos, uma boa receita é buscar a zona de conforto de cada um.

É um artifício mecânico, mas é uma pausa para o sofrimento que estamos experimentando.

Limites cabem em qualquer relacionamento

Para tudo há um limite e nos relacionamentos então, temos que atentar para os limites que podem facilmente ser negligenciados. Gostamos de nos intrometer na vida dos outros, tentar controlar e fazer valer a nossa vontade, percepção, ideias e escolhas.

Em cada relacionamento, é importante se estabelecer os limites, e revisá-los permanentemente.

Um abrigo seguro

Um abrigo seguro

Você tem que ter um lugar seguro para se abrigar quando a vida se tornar insuportável.

Quando o mundo parecer ruir aos seus pés, e tudo te parecer insustentável, o lugar seguro para você se refugiar, é dentro de si mesma, na companhia do seu eu interior e na companhia da Força Superior, aquele em quem você acreditar.

Muitas são as situações que podem te conduzir para uma sensação de abandono.

Os problemas parecem maiores que você.

O desespero de querer mudar muitas coisas na sua vida.

A impressão que você está carregando o piano sozinho.

Você olha para o futuro com pouca esperança de melhoria.

A medrosa dentro de si.

Olhe bem para a medrosa dentro de si. A coragem não é ausência de medo, mas a capacidade de agir a despeito do medo, já comentei várias vezes.

Olhe para a pessoa medrosa dentro de si e trate de encorajá-la para sair em movimento.

Não se perca no meio dos problemas, não deixe que eles te intimidem, e encare-os corajosamente.

Procure uma paz mental menos refém dos pensamentos negativos e derrotistas. Afinal, nem tudo está errado.

Há momentos que nos defrontamos com tantos insucessos, tantas iniciativas acabam travadas e nós mesmos nos sentimos imobilizados, desencorajados.

A gratidão e a retribuição.

Nunca conseguirei retribuir ou passar adiante tantas graças que recebi e sigo recebendo.

Penso sempre em dar e retribuir, mas aprendi que não devo pensar na medida nem na paridade daquilo que me foi agraciado e daquilo que tento compartilhar. O balanço sempre vai dar vantagem para aquilo que tenho recebido.

Tendo isso em mente, decido simplesmente ser bom e fazer o bem, ajudar. Não analisar o dar e receber – simplesmente dar.

Sou uma pessoa abençoada por tudo que a vida tem me dado.

As coisas que me dão medo.

Inevitável sentir o medo, pois é um sentimento que explica a evolução da nossa espécie.

Sentir medo, no fundo, é saudável, mas temos que aprender a viver com isso, percebendo quando estamos passando dos limites e criar mecanismos para amenizar.

Temos que aprender a seguir a vida, nos colocando em ação mesmo quando nos sentimos apavorados.

Não tema a escuridão.

Quem carrega a luz não teme a escuridão.

Quando chegamos num ambiente escuro, basta um fósforo aceso ou um simples LED de celular para iluminar o suficiente para não nos machucarmos.

No sentido emocional, a luz interna funciona da mesma maneira.

A luz interna funciona como a coragem que temos para seguir caminhando no terreno escuro das adversidades.

Funciona comum uma fé na proteção Superior.