Potencial Posts

A semente não reclama

Gosto muito de árvores, e já postei várias vezes sobre a satisfação de abraçar as árvores por onde passo.

Gosto também de examinar as sementes, e sempre me vejo maravilhado com a natureza.

As sementes, minúsculas joias da natureza, não reclamam da falta disso ou daquilo. Elas esperam pacientemente pelas condições para que possam germinar, prosperar e crescer majestosamente.

Se uma criança, na sua inocência, abrir uma semente ao meio, não vai encontrar uma árvore, mesmo em dimensões manométricas.

A semente é só uma semente, mas guarda todos os ingredientes para, em condições especiais, trazer para a existência um outro imponente ser. 

Aprisionado na própria vida.

Como diz Ken Robinson, o Elemento está presente na nossa vida mais freqüente do que imaginamos.

Ficamos achando que o tempo já passou e que as oportunidades surgiram, mas já foram perdidas.

Não dá mais pra pegar o bonde.

Não foi possível seguir seu coração, sua paixão.

Ficamos então prisioneiros na vida sem significado.

Ken Robinson.

Sir Ken Robinson é um educador britânico bastante conhecido que escreveu o livro O Elemento. Este livro já publicado em português, sobre o qual já comentei um par de vezes.

Seu nome é Kenneth Robinson, escritor, professor e assessor do governo britânico para assuntos de educação e artes.

O Elemento, nas palavras de Robinson, é o ponto de encontro das suas habilidades naturais com a sua paixão pessoa.

Sobreviver não é suficiente.

Sobreviver pode não ser suficiente. Temos que levar uma vida abundante.

A vida tem que fazer sentido.

Sobreviver não é o bastante.

Mesmo na maior penúria, como nos ensinou o grande mestre Viktor Frankl no livro Em Busca de Sentido, a vida tem que ter sentido.

Pense na capacidade que te foi reservada, inteligência e sensibilidade. Isso tudo tem que ser utilizado para alguma coisa. Tem que te ajudar em muitas realizações especiais e significativas.

Desafie as suas dúvidas.

Há momentos que as dúvidas parecem nos paralisar.

Temos que sair da estagnação, evitar a paralisia, desafiar as dúvidas.

As dúvidas, quase sempre são relacionadas consigo próprio.

Será que vou conseguir?

Será que tenho capacidade para isso?

Será que vou gostar de fazer isso?

Será que vai dar certo?

Temos que desafiar todas elas.

Ficar ruminando essas dúvidas e outras tantas, acaba se transformando em  limitações para conseguirmos realizar as coisas.

Para conseguirmos avançar nos nossos projetos, temos que passar por essa fase. Temos que desafiar e vencer essas dúvidas. É como uma fase do videogame que temos que vencer para passar para a fase seguinte.

Acreditar nas nossas habilidades e competências é fundamental.

É importante acreditar em si próprio, recorrer à memória para relembrar situações onde você se deu bem, deu o seu melhor e foi bem sucedido.

Desenvolver sempre uma atitude positiva frente aos desafios.

Não se deixar contagiar pelo sentimento de fracasso que pode tomar conta de toda uma equipe.

Procure levantar o moral de toda equipe que trabalha contigo, de toda sua família diante de problemas comuns.

Se você conseguir refletir e identificar de onde as dúvidas se originam, vai poder desafiá-las de frente.

Às vezes alguém questionou sua competência e você tomou isso literalmente.

Lembre-se: a única maneira de vencer as dúvidas sobre si próprio, é realizar, é provar que não há dúvida de que você é capaz.

A estagnação e a paralisia não coloca nada em cheque, não prova nada.

Acredite em si próprio e é o começo.

Beco

A pessoa maravilhosa que eu poderia ser.

Todos nós temos um ideal pessoal, e mesmo que não nos esforcemos para buscá-lo, ele fica sempre marcado na nossa mente.

Quando nos encontramos com alguém com algumas dessas características, nos identificamos imediatamente, e estabelecemos uma conexão fácil.

Quando pequenos, fomos estimulados a perseguir o modelo apregoado pelos pais, familiares e professores.

Para alguns itens, nos rebelamos, outros tantos abraçamos.

Mas não devemos tirar da vista a pessoa maravilhosa que poderíamos ser.

Devemos ir atrás do nosso crescimento pessoal.

Provavelmente não existe uma fórmula mágica, mas algumas recomendações podem ajudar.

Porque não descrever e entender melhor esse modelo e buscá-lo sempre que possível.

Dizem que é bom começar pelo fim, tendo em mente o ideal, o seu modelo acabado.

Entenda o seu potencial para crescimento nessa direção e desenvolva – é a parte mais fácil.

Entenda os pontos fracos que te distanciam desse modelo e vá corrigindo – isso dá trabalho.

Você gosta de onde você está e da pessoa que se tornou?

Você já se imaginou melhor?

Você já imaginou atingindo outros objetivos, alcançando resultados melhores?

Quando você conversa consigo mesmo sobre o seu crescimento pessoal, o que você anda dizendo?

Como você faz para caminhar daqui para onde você quer chegar?

Temos muitas qualidades e é isso que nos impulsiona para realizar e crescer – entenda bem o que você já acumulou como características pessoais.

Entenda aquilo que representa valor para você.

Olhe com honestidade para suas deficiências e não tente justificar ou se esconder por detrás delas.

Quando julgamos que somos um pouquinho melhor que as circunstâncias, temos aí uma boa dica para o nosso aprimoramento.

Aquela coisa boa que não aconteceu por muito pouco, guarda uma informação valiosa que não pode ser desperdiçada.

A pessoa nova que vai surgir desse processo, sem dúvida é uma pessoa melhor, uma pessoa que você gostaria de ser.

Beco

Realize o seu potencial.

Descubra qual o seu talento e seu potencial, e busque colocar em prática.

No que você é bom?

O que mais gosta de fazer?

Quando você faz o que faz e não vê o tempo passar, como dizem os especialistas, você está no fluxo, naquilo que exercita o seu melhor, o seu potencial.

Quando isso acontece, o trabalho vira diversão, e a criatividade e a inovação tem chance maior de florescer.

Pense naquilo que ainda tem para realizar.

O potencial não é o que foi feito, mas o que ainda tem por fazer.

Sinta o desejo de realizar.

Sinta o poder latente e os talentos que estão se coçando para mostrar o seu valor.

Se você já fez muito, não se deite nas glórias do passado. Acredite que você ainda pode realizar mais coisas.

A melhor maneira de entender o potencial é compreender o mecanismo biológico da semente.

A vida não acontece de repente. Nada aparece de repente, mas é a realização de uma vida em potencial, envelopada naquela pequena coisinha.

Assim é o seu potencial.

Descubra o seu, e realize.

A boa notícia é que o potencial está em tudo e está em todos.

A má notícia é que o potencial não realizado se dissipa e se evapora.

Imagine se Shakespeare não tivesse exercitado o seu potencial escrevendo, por exemplo, Macbeth.

Tal qual a semente, examine o potencial que está encapsulado dentro de ti.

Se afaste do medo e da preguiça, os dois maiores inimigos do potencial.

E finalmente, não pense em desistir.

Passe adiante.

Beco