Perseverança Posts

Fazer um pouco mais.

Um pouco mais pode ser a explicação para muitos sucessos.

As pessoas desistem rapidamente quando acham que já tentaram o suficiente, mas as pessoas bem sucedidas simplesmente continuaram mais um pouco, persistiram e consequentemente chegaram a algum lugar.

Faça a diferença, e aproveitando que você está com a mão na massa, e em movimento, não custa muito ir um pouco além. No final, aquele pequeno esforço adicional faz a diferença.

Sinta que fez mais, deu o seu melhor e fique satisfeito com o seu desempenho, mesmo quando os resultados não confirmam o seu empenho.

O olhar perdido nos obstáculos.

Como disse Henry Ford, quem perde de vista os objetivos, vai enxergar apenas os obstáculos.

Barreiras é o que mais vamos encontrar no nosso caminho, mas temos que treinar o nosso olhar para enxergar além das barreiras, além dos obstáculos. E o que nos faz seguir em frente é aquilo que enxergamos lá adiante, os objetivos, são eles que fazem com que a jornada valha a pena.

É muito fácil ficar com o olhar perdido nas dificuldades, especialmente quando somos alvejados seguidamente e simultaneamente por adversidades da vida.

Não há quem não tenha experimentado uma queda quando estava justamente tentando se levantar do escorregão. A vida é assim mesmo, mas não dá pra reclamar, temos que evitar a resignação e o imobilismo.

A vida é uma oportunidade.

Oportunidade de quê?

Devemos olhar a vida como uma avenida de oportunidades que se revelam e nos surpreendem cada dia.

Temos que olhar com serenidade e otimismo, do contrário, não vamos enxergar as oportunidades.

Encontre hoje uma oportunidade que você possa realizar. Mão à obra, realize, e seja feliz.

A vida deve ser vivida assumindo o controle e as escolhas. As oportunidades estão aí.

Mude o olhar naquilo que não pode mudar.

Aceite aquilo que você não pode mudar, e aceite a vida como ela é.

Não é conformismo nem resignação, mas sim, olhar o mundo com mais realidade.

A aceitação é exercitada quando mudamos a maneira de olhar para as coisas que não podemos mudar.

Enquanto olhamos a nossa realidade com prepotência, achando que temos o controle de tudo e de todos, sofremos, nos decepcionamos e nos estressamos.

Não abandone o barco.

No meio da tempestade, não se desespere nem abandone o barco.

A vida pode parecer difícil, e os problemas incontroláveis, mas tudo vai passar, e você vai chegar ao seu destino.

Busque a serenidade, deixe a sua mente se acalmar e cuide de uma coisa por vez.

Quando tudo parece revirado, temos uma ansiedade enorme em consertar tudo de uma vez, e não é razoável fazer isso.

Tampouco devemos abandonar o barco, chutar o pau da barraca e consequentemente botar tudo a perder.

É um bom começo.

Devemos evitar a imobilização, amedrontados pelo tamanho da jornada. Comece pequeno, e se contente em fazer um pouquinho de cada vez.

Dê um pequeno primeiro passo, e faça o que está ao seu alcance.

O início do ano é sempre inspirador começar algo que temos protelado. Uma dieta, exercício físico, reatar relacionamentos, resolver conflitos familiares crônicos.

Comece pelo começo. Pode parecer evidente, mas sem planejamento, começamos no meio, nos frustramos com os primeiros resultados e paramos aí.

As armadilhas do pensamento.

Somos pegos diariamente nas armadilhas do pensamento, que nos empurram para caminhos tortuosos, improdutivos e negativos.

Muito rapidamente nos metemos a julgar os outros, pensar mal, e ensaiar uma crítica.

Comparamos uns com os outros, pois temos sempre alguém que representa o nosso modelo de perfeição, quando não somos nós mesmos esse totem da perfeição.

Culpamos, invejamos, desejamos mal para os outros, e nem notamos quando estamos caindo como um coelhinho incauto Se conseguirmos perceber que estamos sendo vítima desse mal, desse defeito, podemos agir rapidamente para cair fora.