Perfeição Posts

Veja o melhor na sua parceira.

Veja o melhor na sua parceira. Coloque mais atenção em suas qualidades e menos em seus defeitos.

Não quero com isso dizer que você deva fechar os olhos para os defeitos, ou fazer vistas grossas para os maus tratos, desvios e comportamentos abusivos.

Ninguém é perfeito, nem você mesmo.

O olhar ingênuo e resignado não é bom, pois não é honesto.

Seja feliz sem ser perfeita.

Você já imaginou o esforço e a energia que dispendemos na busca da perfeição?

Estamos sempre atrás dos 100% de desempenho, de resultado e de reconhecimento. Quando não conseguimos é aquela decepção consigo mesmo, o que pode acontecer na maioria das vezes, aliás, ninguém é perfeito.

Incapacidade de tolerar os erros alheios.

Porque tanta ansiedade?

Onde fui ganhar tanta intolerância e tanta inflexibilidade?

Vejo pessoas que não conseguem deixar passar um mau humor do caixa do supermercado, ou do jornaleiro. Elas têm que comentar, fazer um julgamento, deixar ali, naquele momento, uma gota da sua prepotência e intolerância.

Declare alguma coisa: concluída.

Quantas coisas ficam na nossa carga de trabalho sem conclusão, mas que deveríamos dar como concluído.

Me encantou a postagem de Gretchen Rubin que diz exatamente isso: Declare something finished.

Gretchen como escritora vive esse dilema sempre , de dar mais um acabamento, de seguir aprimorando o texto.

Eu mesmo vivi essa experiência quando iniciei o blog.

Me odeio quando faço isso.

O que está por trás dessa crítica?

É uma disposição automática de se julgar/condenar/criticar.

Pode parecer algo inocente e inofensiva, mas a autocrítica excessiva pode ser um empecilho ao crescimento pessoal.

Isso pode guardar ainda um espírito perfeccionista, condenando tudo que não sai perfeitamente conforme desejado.

O desejo de ajudar e o desejo de modificar.

Tenho que controlar esse desejo de controlar as outras pessoas.

Quando temos arraigado esse sentimento de que eu sei o que é certo, a própria ação de ajudar é também uma ação de controle.

Não devo querer mudar as outras pessoas.

Devo me preocupar em mudar a mim mesmo. Devo me empenhar em ser uma pessoa melhor a cada dia, e deixar que cada um trilhe o seu próprio caminho.

As minhas imperfeições.

Devo me aceitar como sou.

As minhas imperfeições, eu as reconheço, eu as aceito.

Aceitar as imperfeições é sinal que de posso melhorar, que posso evoluir.

Os meus defeitos não me impediram de chegar aonde cheguei, e isso é sinal que não tenho só defeitos – tenho virtudes, capacidades e habilidades.

Este mês, a ideia força é conhecer a si próprio, e conseguir olhar para o espelho, reconhecer as deficiências e as virtudes é algo que deve ser valorizado.