Pensamentos Posts

Vitral virtuoso

Vitral virtuoso

Neste ano que se inicia, desejo que todos possam fazer o exercício do vitral virtuoso.

Imagine um vitral maravilhosamente confeccionado, com um desenho inigualável, cores vivas, que fazem com que a luz que vem de fora seja profundamente enriquecido quando transferida para dentro.

Vitral em si mesma:

Pense o vitral em você mesma, se abrindo para o bem que existe no mundo, acolhendo a beleza e as bençãos que a vida lhe oferece. Permita que tudo chegue até você como um presente. Aceite a vida por inteiro.

Quando a noite se apresenta, e o escuro toma conta do ambiente externo, o vitral ameaça perder a sua exuberância, e aí, é hora da luz interna se fazer presente.

De dentro para fora:

Pense agora o seu vitral, se iluminando de dentro para fora, mostrando a sua força, a sua energia.

Deixe brotar o bem dentro de você e faça o vitral brilhar, mostrar a sua cor, mesmo no meio da escuridão.

A imagem do vitral é um convite para a reflexão de que devemos estar estar abertos para receber o bem que nos é oferecido a todo momento. Receber e agradecer, e permitir que o bem entre em nós.

Momentos tristes:

Quando os momentos tristes e dolorosos nos chegam, é hora de mostrar do que somos feitos, deixar aflorar o bem que está dentro de nós. Deixar a luz que guardamos no coração chegar até o vitral, dar cor à nossa vida.

A vida não é fácil para ninguém, e há momentos que queremos nos sentar e chorar, mas a força está em nós, e na fé num Poder Superior.

Viver com o vitral sempre limpo, de coração aberto, é uma exigência.

Viver e receber tantas coisas boas que nos acontecem, é uma benção.

Deixar o bem brotar de dentro de si é uma virtude que temos que cultivar.

Rubens Sakay (Beco)

 

O seu negócio

O seu negócio

Um ensinamento maravilhoso sobre cuidar das minhas coisas, veio da leitura de Byron Katie, que diz que há três tipos de negócios: o seu negócio, o negócio dos outros e o negócio de Deus, e sobre isso ela faz a seguinte reflexão:

Você tem que dedicar o seu tempo e sua energia cuidado do seu negócio, da própria vida. Mas isso não é assim tão fácil.

Reagir ou responder

Reagir ou responder

A questão entre reagir ou responder está no ponto central do nosso desenvolvimento pessoal, especialmente nos aspectos emocionais e neurofisiológicos.

Na semana passada conclui o curso de 8 semanas MBSR – Mindfulness Based Stress Reduction, que nos ensina a treinar a mente e o corpo para responder adequadamente às circunstâncias da vida evitando reagir de maneira rápida e equivocada e muitas vezes perigosa. Vou contar as melhores lições.

65 anos

65 anos

Completei ontem 65 anos e sei que hoje estou mais perto dos setenta.

Passei o dia de ontem completamente absorto no meu envelhecimento, nas coisas que tenho praticado e experimentado nos últimos trinta anos.

Muitas coisas perderam completamente a importância, outras ganharam muito espaço no meu radar, e outras tantas foram relativizadas.

Terceiro compromisso

Terceiro compromisso

Nós nos apressamos a tirar conclusões de tudo, tomar partido, julgar, condenar, enquadrar, e pior é que fazemos isso com coisas que não nos dizem respeito, e Don Miguel Ruiz nos leva a esta reflexão no terceiro compromisso.

Depois que tiramos tais conclusões e ruminamos um pouco na nossa mente, passamos a acreditar e defender, mesmo que não façam qualquer sentido.

Intimidade consigo mesmo

Intimidade consigo mesmo

Experimente a intimidade consigo mesmo. Se desligue por algum momento de tudo que te puxa para fora de si, as conexões com outras pessoas, com as circunstâncias e com as redes sociais.

Segundo compromisso

Segundo compromisso

O segundo compromisso de Don Miguel Ruiz que foi divulgado em seu livro “Os Quatro Compromissos” é – não leve nada para o lado pessoal. Explico nessa postagem esse segundo compromisso em continuidade ao primeiro que expliquei em postagem anterior.

O segundo compromisso:

Não levar para o lado pessoal significa não tomar partido não tomar ao pé da letra tudo que ouve sobre você.

Se fizerem um comentário maldoso sobre você, não assuma que isso seja verdade e não saia rebatendo como uma agressão ou ofensa. Não tome partido em tudo que ouve. Experimente a indiferença, especialmente quando a fonte dessa observação não merece consideração, ou venha contaminado de raiva, ressentimento.

O veneno:

Não deixe que o veneno que atiram para você te atinja assim, facilmente.

As pessoas fazem os comentários motivado por algo que se passa dentro dela, e você não deve assumir isso como algo seu, que te diga respeito, que seja sua responsabilidade. Deixe passar.

Os filtros:

As pessoas enxergam a realidade segundo os próprios filtros, e suas observações são distorcidas por conta desses filtros, e você não deve aceitar isso como verdade. Não deve aceitar que tais observações impactem sua vida sem o devido desconto.

Não tome literalmente – dê um desconto.

Carga negativa:

Quando aceitamos e assimilamos tudo que dizem a nosso respeito, carregamos essa carga negativa sem questionamento.

É como se colocassem pedras pesadas na nossa mochila e saíssemos carregando sem reclamar.

Não aceite e nem leve para o lado pessoal.

Perceba os comentários como algo que chega pelo ar e vai passando ao largo sem te afetar.

Rubens Sakay (Beco)