Paixão Posts

O primeiro beijo é mágico e o segundo…

O primeiro beijo é mágico e o segundo…

Dizem os estudiosos que explicam a adaptação hedônica que o primeiro beijo é mágico, o segundo é íntimo e o terceiro é rotina. O ser humano tem a capacidade de se adaptar a tudo, coisas boas e ruins. Essa capacidade provoca uma letargia aos relacionamentos amorosos, que em muitos casos acaba em infidelidade.

Como não deixar o tédio e cansaço levar a paixão

Como não deixar o tédio e cansaço levar a paixão

A vida tem que ser vivida com paixão, afinal, a paixão é o tempero da vida.

Se entregue com paixão a um novo amor, uma nova amizade, um novo emprego.

Enquanto estiver conduzindo um projeto, faça da melhor maneira e de maneira apaixonada.

Muitas vezes começamos alguma coisa entusiasmados, apaixonados pela empreitada, mas com o tempo vamos perdendo aquela paixão, vamos perdendo o pique.

No começo, ficamos encantados com a perspectiva de um resultado glorioso lá no final, lá na chegada. Ao longo do trajeto, ficamos cansados com o esforço e entediados com a as tarefas rotineiras.

O mais importante – cuide de si mesma

O mais importante – cuide de si mesma

Fazemos tantas coisas na vida, nos preocupamos com a família, o trabalho, e não raro, descuidamos de nós mesmos, da nossa saúde, do nosso equilíbrio, da espiritualidade.

A vida é muita curta para ficarmos vivendo a vida dos outros. É um desperdício de tempo e de energia, focar muito no que os outros pensam, fazem, compram, onde moram, deixando com isso de cuidar daquilo que te interessa, a sua própria vida. Enquanto cuidamos muito da vida dos outros, a nossa vida fica sem piloto. O nosso barco fica à deriva, sem rumo, e vai acabar em algum lugar indesejável.

Quanto respiramos e quanto suspiramos.

A vida não se mede pelas vezes que respiramos, mas sim pelas vezes que suspiramos, isso eu li outro dia e fez todo sentido.

Precisamos viver mais intensamente, nos emocionar mais, nos contentar mais com aquilo que fazemos, com as situações que vivemos.

Será que estamos atentos para a nossa vida, para o momento presente?

Será que estamos deixando a vida nos levar, apenas respirando?

Se empenhe em ser uma pessoa melhor.

Temos o péssimo costume de nos preocuparmos mais em julgar e corrigir os outros, do que refletir sobre as coisas que podemos melhorar em nós mesmos.

Sempre que você estiver em vias de corrigir uma pessoa, se concentre na sua vida, se concentre em algo que você quer se aprimorar, exercite uma coisa de cada vez.

Como já comentei uma vez, a vida é muito curta para ficarmos desperdiçando, tentando viver a vida dos outros.

A outra face dessa mesma moeda, é ficar moldando a sua vida à vontade dos outros, guiada pela opinião dos outros.

Fazemos isso quando vamos a lugares que não gostamos porque os outros estão indo. Comemos o que não gostamos porque é fino e está na moda – sem contar que pagamos caro por isso.

Nos vestimos desconfortavelmente, gastamos o que não temos por uma roupa da moda – e sequer ficamos mais elegantes.

Isso é uma bola de neve.

É um ciclo vicioso – é a velha esteira hedônica – inconsciente.

É fácil notar quando você e os seus amigos estão todos rodando no piloto automático.

Observe um encontro casual, onde se fala de tudo, se coloca a conversa em dia, e contam as novidades.

Observe se os assuntos são: fofocas de terceiros – falar mal dos outros – coisas materiais que compramos, alguém comprou ou pretendemos comprar.

Quando isso acontece, é sinal que ninguém está vivendo a vida de verdade. Ninguém tem nada pra contar de profundo, existencial, bonito, verdadeiro – é tudo um verniz social.

Isso tem remédio.

 O brilhante Leo Babauta, no seu blog Zen Habits, publicou um resuminho das suas recomendações – Manual para a vida. Escolhi algumas (de 52 recomendações) que têm a ver com o que falamos hoje.

6- Encontre alguma coisa que você ama fazer. Faça.

16-Qual a vida que você deseja? O que você gostaria de fazer todos os dias?

24-Desenvolva relacionamentos íntimos – não tenha apenas relacionamentos superficiais.

Faça vários momentos de reflexão sobre os seus objetivos na vida, e procure sair dos planos puramente materiais – casa nova, melhor emprego – dinheiro no banco.

Reflita sobre a pessoa que quer ser.

Reflita sobre o mundo que você quer viver.

Reflita sobre as coisas que te faz feliz.

Leve os seus pensamentos, suas decisões e suas ações nessa direção.

Não tem erro.

Beco

Se apaixone.

A paixão é o tempero da vida.

Se entregue com paixão a um novo amor, uma nova amizade, um novo emprego.

Enquanto estiver conduzindo um projeto, faça da melhor maneira e de maneira apaixonada.

Muitas vezes começamos alguma coisa entusiasmados, apaixonados pela empreitada, mas com o tempo vamos perdendo aquela paixão, vamos perdendo o pique.

No começo, ficamos encantados com a perspectiva de um resultado glorioso lá no final, lá na chegada. Ao longo do trajeto, ficamos cansados com o esforço e entediados com a as tarefas rotineiras.

Porque perdemos a paixão inicial?

Provavelmente porque perdemos do ângulo de visão aquela beleza no final do trajeto.

Precisamos recuperar isso em tudo que fazemos.

Precisamos levantar o olhar e admirar novamente aquela visão inspiradora e apaixonante.

Isso vale para a relação conjugal, vale para a criação dos filhos, para o trabalho, para o estudo, para qualquer projeto na vida – não devemos perder o nosso ar apaixonado.

Tire a sua atenção no esforço diário – volte a sua atenção para o resultado final que você imaginou.

Faça um diálogo consigo mesmo – essa tarefa tem significado porque se junta com outra tarefa e mais outra que leva ao resultado final fantástico vislumbrado lá no início.

Faça os seus olhos brilharem novamente como no princípio.

Relembre também o impacto que esse projeto tem nas outras pessoas – quanto importante é o projeto de maneira geral – não só pra você.

Ame de paixão.

Beco