Orientação Posts

Histórias que contamos uns aos outros.

Contamos histórias honestas, engraçadas e plenas de significado e com elas aprendemos as lições uns dos outros.

Outro dia, tomei um taxi de Ipanema para o Botafogo. Deveria tomar ter tomado o ônibus, mas a pressa era enorme.

Pedi para me levar à igreja de Santa Terezinha junto ao shopping Rio Sul, no que o motorista replicou: ”está com Deus está bem”. E prossegui numa conversa vinculada à Tereza de Lisieux, a jovem francesa que deixou este mundo muito cedo. Hoje a conhecemos como Santa Terezinha do Menino Jesus.

Ele me perguntou: “o senhor é padre?” Respondi que não, mas tinha uma grande admiração pela santa.

Ele comentou: “se o senhor fosse padre ia me abrir com o senhor…”.

Deixar de reagir às críticas negativas.

Responder ou reagir. Pode parecer mesma coisa, mas definitivamente não é.

Responder é fazer com consciência, dizendo aquilo que realmente queremos dizer, e que não vamos nos arrepender. E mais, não vai alimentar a ruminação interminável sobre o incidente negativo.

Reagir, por outro lado, e entrar no jogo das ofensas e agressões, dizendo o que está na ponta da língua, e que foi comandado pelo nosso cérebro antigo e primitivo. Os desdobramentos são sempre desastrosos, uma mágoa desnecessária pra cima do agressor.

Viva a vida por você.

Não crie tanta dependência de outras pessoas. Viva a vida por você. Faça por você, e assuma a responsabilidade sobre a sua felicidade.

Queremos cuidar muito dos outros, e mais grave do que isso, ficamos permanentemente bisbilhotando a vida dos outros, como se aquilo que se passa com os outros fosse mais importante que aquilo que acontece conosco.

Os erros do passado.

Os erros do passado estão aí para te guiar, e não para te massacrar.

Não fique ruminando, se lamentando e se culpando. Aprenda a lição e tenha sempre em mente que valeu a pena.

Cada erro é um portal para novas descobertas, especialmente sobre si mesmo.

Aceite a si mesmo, como autor dos erros cometidos, e se perdoe agora mesmo.

Fique firme nos princípios e ideais.

Podemos ter recaídas na nossa jornada de se livrar de velhos hábitos, mas devemos ficar firmes nos princípios e ideais que nos conduzem ao crescimento pessoal.

As pessoas que tentam abandonar o cigarro, a bebida e outros hábitos tóxicos, sabem do que estou falando.

Também as pessoas que tentam abandonar as compulsões por comida, compras, mentiras, sabem o quanto é difícil ficar longe disso tudo.

No entanto, uma recaída não deve nos afastar da longa caminhada que é abandonar de vez o uso de substâncias tóxicas ou hábitos nocivos à saúde e ao relacionamento.

Somos o que somos, cada um tem uma jornada, umas mais fáceis e outras mais difíceis, mas a força para tocar pra frente está bem aqui, dentro de cada um.

Aquilo que forma o nosso caráter, a soma das nossas qualidades, a nossa integridade, a aderência aos valores e princípios, é que nos guia para tudo que vivemos e enfrentamos na nossa vida. É a nossa parte mais íntima, e devemos nos manter conectados a ela permanentemente.

Compreender isso, e ensinar aos pequenos, é uma tarefa de suma importância. As pessoas devem escolher desde cedo os valores que quer abraçar na vida.

Observe as suas ações e escolhas do passado e veja quanto você tem mantido a aderência aos seus valores.

Manter o caminho, sem tomar desvios perigosos é importante, e exige uma vigilância pessoal permanente.

Quanto mais você vive de acordo com os seus valores, maior autoconfiança você vai ter, na medida em que sente a solidez do caráter e a integridade pessoal.

Assim, a vida passa a fazer sentido porque você vive aquilo que acredita.

Beco

Tenha uma bússola interna.

Criamos um mundo tão artificial, orientado por valores e metas tão mundanos. Tudo isso forma uma carapaça de mesquinharia que confunde totalmente a nossa bússola interna. Ao invés da bussola apontar para algum objetivo decente na nossa vida, ela acaba apontando para essa carapaça de superficialidade e de mesquinharia.