Natureza Posts

Flores da minha vizinhança

Flores da minha vizinhança

Gosto da natureza, adoro flores e passo muito tempo fotografando o que me chama a atenção. Recentemente, tenho me entretido com as flores da minha vizinhança. Hoje sei que milhares de pessoas fazem exatamente isso em algum canto do mundo.

Às vezes saio para caminhar com minha cadela e depois retorno para fotografar algo interessante.

Outro dia li algo interessante

A natureza que generosamente nos cerca

A natureza que generosamente nos cerca

Costumo gravar os meus vídeos de manhã, bem cedo, aproveitando a sutil luz do sol matinal. E procuro também me cercar da natureza que generosamente me acompanha.

Em muitos dos vídeos, há um som de fundo dos pássaros que, assim como eu, despertam muito cedo. Há uma dupla de papagaios que chega por volta de 07:00hs, se acomodam nos galhos altos do ipê rosa e começam uma conversa animada que dura uns vinte minutos e depois partem. Não raro, eles fazem parte, casualmente, da trilha sonora dos meus vídeos, e hoje resolvi registrar um deles em foto, que aproveito para encabeçar a postagem.

O frescor da manhã depois da chuva

O frescor da manhã depois da chuva

A chuva tem um significado especial para mim. Moro numa região onde temos duas estações, a da seca e a das chuvas.

Quando chega o tempo da seca, não notamos propriamente, pois o tempo vai secando até ficarmos completamente sem chuvas por quase 6 meses, mas quando chegam as chuvas, impossível não sentir o frescor da manhã depois das primeiras chuvas.

Saio para caminhar logo cedo com minha cadela, e hoje foi particularmente agradável, sentindo a umidade enchendo os pulmões, e a gente não se dá conta da carga de oxigênio até que o ar puro enche os pulmões.

As folhas secas do jatobá

As folhas secas do jatobá

Tenho por hábito fazer uma longa caminhada pela manhã. É a ocasião em que pratico o que aprendi com o monge budista Thich Nhat Hanh, o walking meditation. Isso consiste em utilizar os recursos da meditação simplesmente ao caminhar.

Me concentro na própria caminhada, nas minhas passadas, na minha respiração e em todas as sensações físicas que aparecem enquanto caminho. Inclui o cansaço, a batida forte do coração, o frio da brisa matinal.

Procuro ao máximo separar essa experiência espiritual com aquela contextual. Evito prestar atenção nos carros que trafegam ou mesmo nas pessoas que fazem o mesmo trajeto.

Saboreie a natureza – o aroma das flores

Saboreie a natureza – o aroma das flores

Gosto de chegar em casa, e ao perceber uma das roseiras em flor, me aproximo, me debruço gentilmente sobre a rosa e sinto gratificado o seu maravilhoso aroma.

Dentre as coisas que me trazem serenidade, uma é ter contato com a natureza, sentir o aroma das flores, apreciar a sua beleza, matizes e formas.

Nos países onde as estações do ano são marcadas, a expectativa da primavera e das flores é maior.

Aqui, temos uma variedade enorme, e damos como certo ter flores o ano todo, mas onde moro, temos as estações do ipê, e aprecio muito ver os primeiros ipês rosas florescerem e depois os amarelos.

Aproveito um sinal fechado no trânsito para apreciar as flores pelos ipês nos canteiros.

Os instantes mágicos da vida

Os instantes mágicos da vida

Não deixe a vida passar despercebida. Fique atento para a abundância e para os instantes mágicos que acontecem no seu cotidiano.

Um prazer momentâneo, um pássaro raro que cruza o ar. Uma flor tão esperada acaba de desabrochar. Uma brisa fria e maravilhosa num dia calorento. Fique atento, aprecie, saboreie. Não se distraia.

Usufrua da natureza

Usufrua da natureza

Aprenda a apreciar a natureza que te circunda. Às vezes chove demasiado. Um calor escaldante pode ser quase insuportável. Mas, a natureza é assim. Ficar reclamando e praguejando, como se fosse possível mudar a natureza é totalmente inútil e improdutivo.

Aceite e aprenda a lidar com a natureza. Os cachorros não falam, as formigas avançam nos doces, a chuva pode molhar seus papéis, e o frio pode te dar um resfriado.

Ao aceitar cada coisa da natureza, estamos a meio caminho para aprender a apreciá-los.