Metas Posts

O trabalho a ser feito.

Há sempre um trabalho a ser feito, e a vida de qualquer um é de muito trabalho.

Temos que arregaçar as mangas e colocar mãos à obra. Não há tempo para fazer corpo mole, procrastinar ou empurrar com a barriga.

É como navegar contra a correnteza. Se ficarmos inertes, estagnados, na verdade andamos para trás.

Não devemos parar para reclamar dos problemas.

Não interrompemos uma tarefa para culpar os outros.

Na verdade, temos que resolver as dificuldades, aprender as lições e seguir em frente.

Desafios renovados.

Nos levantamos da cama todos os dias dispostos a viver um bom dia, e contribuir, crescer, se tornar uma pessoa melhor.

Mas temos que ter objetivos e metas desafiantes, algo que faça brilhar os nossos olhos. Temos que renovar os desafios constantemente, manter elevado o nosso entusiasmo pela vida.

Pense nos desafios como algo que traz sentido para a sua vida, e não somente aumente os zeros na sua conta corrente.

A sua capacidade tem que ser colocada a serviço de enfrentar os problemas e as adversidades e não se esconder deles.

Uma vida mecânica.

O que acontece quando os problemas desaparecem?

Podemos agora usufruir da vida, saborear tudo de bom que nos aparece?

Muitas vezes, quando os problemas deixam de nos atormentar, ficamos prostrados, desmotivados, uma vida mecânica, sem sentido. O que está acontecendo? Fomos esgotados pelos problemas, a nossa energia foi toda gasta?

Na verdade, acontece que passamos muito tempo no piloto automático, vivendo uma vida sem sentido, correndo atrás do prejuízo, e quando a tempestade passa, fica difícil encontrar o caminho.

Temos que procurar sentido na vida, abandonar o círculo vicioso do acordar, vegetar e dormir.

Realize o futuro.

Disse Peter Drucker que a melhor maneira de predizer o futuro é realizá-lo.

Aquele que não sabe nem imagina o seu futuro, certamente não está empenhado em construi-lo.

Não devemos avaliar a nossa vida pelo que colhemos, e sim pelo que plantamos.

Temos que ter fé no nosso futuro e sabemos que futuro é melhor que qualquer passado.

Vamos correr atrás dos nossos sonhos, realizar os nossos projetos.

Declare alguma coisa: concluída.

Quantas coisas ficam na nossa carga de trabalho sem conclusão, mas que deveríamos dar como concluído.

Me encantou a postagem de Gretchen Rubin que diz exatamente isso: Declare something finished.

Gretchen como escritora vive esse dilema sempre , de dar mais um acabamento, de seguir aprimorando o texto.

Eu mesmo vivi essa experiência quando iniciei o blog.

Vida – uma tarefa a ser cumprida.

Não devemos simplesmente deixar a vida nos levar.

Isso pode ser bonito num verso ou numa música, mas a vida tem que ser conduzida, tem que ser assumida, tem que fazer sentido.

A vida é uma tarefa a ser cumprida.

Quem conhece a experiência de Viktor Frankl, descrita no seu livro: Em Busca de Sentido, entende bem o dever inalienável de cada indivíduo de dar sentido ao que fazemos, ao que vivemos.

Somos o ator principal dessa biografia, que é a nossa história.

Para aqueles que crêem numa Força Superior, o diretor dessa peça é Alguém lá em cima, mas cá embaixo somos nós mesmos a desempenhar o papel principal.

Tenha claras as suas metas, os seus objetivos na vida, pois isso funciona com ter um script para seguir, um roteiro que seja enfim o sentido da sua vida.

Os objetivos, nos dão a motivação, são o motivo da nossa ação, representam a direção no nosso caminho

E à medida que caminhamos, as metas vão se realizando, o sentido vai ganhando concretude, e nós nos sentimos satisfeitos realizados.

Cada um tem seu objetivo e cada um tem sua velocidade de realizar as coisas.

Uma tartaruga não fica nem mais nem menos realizada que a lebre ao cumprir o trajeto. Cada um deve estabelecer o objetivo de acordo com sua individualidade.

Eu gosto muito de escrever e isso me ajuda a dar clareza e a também não me esquecer dos objetivos, nem daquilo que realmente dá sentido ao meu caminho.

Outros gostam de conversar com os amigos e familiares sobre tais objetivos, e tudo isso nos torna mais autênticos no que faz, o modo como vive.

Boa parte da tarefa que temos a cumprir é o próprio trabalho que nos preenche e nos supre dos recursos para seguir o nosso caminho.

Buscar a satisfação no trabalho ou um trabalho que nos satisfaça, é uma reflexão interessante que li no blog de Penelope Trunk.

Enfim, não devemos cobrar da empresa que dê significado à nossa vida pessoal.

É preciso estar satisfeito consigo mesmo, com a sua vida, com as suas escolhas, e assim permitir que o trabalho também tenha sentido.

Beco

Estabeleça metas de longo prazo na sua vida.

É como fazer uma viagem de carro.

Planejamos onde queremos chegar ao final da viagem, mas quando nos metemos na estrada, aproveitamos o caminho, a paisagem e a experiência.

Quando fazemos uma escalada, definimos o objetivo da escalada e aproveitamos cada momento e cada movimento.

É um dos paradoxos que devemos lidar – o curto prazo e o longo prazo.

Temos que ter objetivos na vida, mas devemos viver a vida, um dia de cada vez.

O objetivo de longo prazo é o sentido da vida, o motivo de se viver, ao passo que a concentração no momento presente é a vida plena e feliz a cada momento.

Sem um objetivo no final da jornada, a escalada perde o sentido – ninguém sai por aí escalando uma montanha sem saber onde chegar e sem planejar os estágios, as limitações e os recursos.

As metas de longo prazo mantém acesa a chama da busca pessoal, nos mantém atentos para o nosso crescimento.

Ao estabelecermos a meta, devemos nos despreocupar um pouco com o cume, mantendo-o como referência, mas devemos desfrutar da escalada como um todo.

A vida é o que transcorre enquanto corremos atrás dos nossos objetivos.

E a felicidade não acontece por acaso.

É preciso persistência, consciência e planejamento.

Os planos de longo prazo nos motivam – explicam as nossas ações.

Sem os planos, ou não nos movemos, ou nos movemos sem motivo, sem direção.

Os planos de longo prazo, normalmente implicam em reflexões sobre os seus valores e princípios, e isso recobra a sua consciência sobre a própria existência.

Quando pensamos no longo prazo, fazemos também uma retrospectiva de longo prazo – pensamos na vida como um todo – buscamos sentido.

Pensamos também nos relacionamentos duradouros.

Nas competências duradouras.

Muitas coisas que aprendemos, servem para o momento, para a tarefa, mas outras coisas servem para a vida toda.

Beco