Intolerância Posts

Que ações tem lhe prejudicado?

O que está complicando a sua vida?

Pense com calma e veja com clareza aquilo que está complicando a sua vida, especialmente as atitudes, comportamentos e ações.

Analise quais consequências tem trazido as ações impensadas, açodadas e até inconsequentes – olhe para os prejuízos.

Identifique, olhando esse quadro desanimador, o que você pode fazer para melhorar.

Aprender a dizer não:

Que tal aprender a dizer não, deixando de assumir coisas que não são sua responsabilidade.

Falar a verdade também é importante, pois mentir, camuflar ou dissimular pode resultar em desconfianças e isolamento.

Assumir a responsabilidade sobre a própria vida é parar de se meter na vida dos outros, tomando conta da vida alheia, deixando a sua própria vida à deriva.

Deixar que cada um cuide da própria vida, é abandonar a prepotência de achar que sabemos o que é melhor para o outro.

Mas também podemos enumerar as ações que estamos abandonando e que poderiam nos ajudar a reduzir esse estresse.

Se dar mais aos outros, ser mais generoso e agradecer por tudo que tem recebido.

Descomplicar a vida é uma diretriz que deveríamos ter em todos os aspectos, e a sociedade que criamos nos empurra para mais e mais complicações. Isso incluir querer menos coisas, comprar menos, assim como simplificar cada vez mais o nosso cotidiano, trabalho, família e entretenimento.

A falta de aceitação de tudo que nos cerca também gera um descontentamento crônico. Não estamos satisfeitos com nada e consequentemente queremos mudar o mundo.

A nossa latitude para agir e mudar é bastante limitada. Podemos desejar mover a montanha, mas temos que ter a consciência da inutilidade de tal empreitada.

Quando concentramos o nosso foco naquilo que conseguimos mudar, a vida toma um rumo diferente.

Olhamos para si próprio e colocamos a nossa energia em melhorar a pessoa que somos, e um passo de cada vez, sentimos o benefício de se liberar do emprego que nós mesmos criamos – ajudante de Deus para consertar o mundo.

Temos o ímpeto de querer mudar as pessoas, especialmente os membros da família – a encrenca está formada.

Analisar cada atrito e desconforto que vivenciamos e identificar aquilo que está no nosso alcance mudar e melhorar, nos permite seguir o caminho sem encontrões, caras feias e estresse.

Mude a si mesmo e o desconforto vai passar.

Olhe o mundo que te cerca com generosidade, e o mundo vai se transformar na sua frente.

R.S. Beco

Respostas prontas e desatualizadas para tudo.

Não sei de tudo, e não sou o sabichão, o oráculo do saber.

Tenho que abandonar as respostas prontas para tudo, pois elas podem muito bem estar desatualizadas.

Tenho que manter a mente aberta, aprender mais e discursar menos.

Muita coisa para dizer, pouca coisa para aprender – tenho que me habituar ao modo de aprendizagem.

Deixe por menos.

Dê um desconto naquilo que acontece de errado no seu cotidiano, especialmente quando envolve outras pessoas. Não se deixe impactar exageradamente pelos atos de outras pessoas.

Sabemos que as pessoas podem se exceder nas reações, e nós mesmos já fizemos isso incansáveis vezes.

Dê um desconto, deixe por menos, deixe passar e siga adiante.

Não vale a pena computar tudo que acontece na sua vida, como uma conta corrente de descontos e depósitos.

Aceite as limitações dos outros.

Jogamos para os outros, a expectativa de perfeição que nem mesmo nós somos capazes de cumprir.

Ficamos cobrando, julgando e criticando, quando deveríamos aceitar e usufruir.

As pessoas são diferentes, temos que aceitar. O desempenho e capacidade de cada um respeitam a sua individualidade e as condições do momento. Não devemos cobrar mais do que é razoável. O mundo ideal e perfeito não deve ser um objeto de cobrança quando confrontamos os resultados e as responsabilidades.

Muitos pequenos problemas.

Certamente sentimos a carga de tantos pequenos problemas. Se contabilizarmos todos eles, vamos ficar estressados.

Temos que criar alguns artifícios para evitar esse drama em cima de pequenas coisinhas, muitas vezes sem importância.

Uma recomendação muito importante é desentulhar a nossa vida de tanta coisa inútil, carga desnecessária e tempo perdido.

Fazemos muitas atividades que não agregam qualquer valor para a nossa vida, como ligar para os outros para contar fofocas.

Se morder a língua morre envenenado.

Porque temos que ter tanto pensamento ácido na ponta da língua. Assim vamos morrer envenenados se mordermos a própria língua.

Alguns escritos religiosos comentam que o golpe da língua quebra os ossos, de tão forte que é.

Para o nosso próprio bem, temos que moderar bastante aquilo que falamos de outras pessoas. Especialmente aquilo que falamos pelas costas.

Os outros podem discordar.

É uma luta lidar com opiniões contrárias.

Acredito que seja para mim uma aprendizagem sem fim, um passo de cada vez.

Sempre tive essa deficiência de me achar o sabichão, e procuro elaborar bem as minhas ideias. Mas quando recebo opiniões contrárias, a minha mente entra em alta rotação. Procuro intensamente melhorar essa minha característica.

Não sou dos piores, mas estou muito longe do que chamo de mente aberta.