Humor Posts

Esteja pronto para sorrir.

Esteja pronto para sorrir no seu cotidiano. Caminho com o cachorro todos os dias logo pela manhã, e cruzo pessoas carrancudas, começando o dia com a cara amarrada.

Dou logo bom dia e sorrio. Quero mesmo que entendam que eu desejo de coração que elas tenham um bom dia, mas nem todo mundo está pronto para sorrir. Sinto neles um desconforto, quase uma surpresa em ter que sorrir inesperadamente para uma pessoa estranha.

Fico pensando que deveríamos ter um sorriso engatilhado, pronto para desabrochar, em qualquer circunstância.

Pequenas coisas.

Fique atento para as pequenas coisas do seu cotidiano.

Mesmo os eventos mais singelos trazem impacto para a sua felicidade, e a ciência mostra que são precisos três eventos bons para equilibrar um simples evento ruim. Não se deixe impactar demasiadamente por pequenos eventos ruins, ao tempo que aproveita ao máximo as pequenas experiências positivas.

Agradeça todas as graças que tem recebido e estará reforçando o lado bom da vida, trabalhando assim a favor da sua felicidade e bem estar.

Podemos achar que os grandes eventos é que representam o nosso cotidiano, mas estes são raros, e aquilo que você faz durante o dia é na verdade um rosário de pequenos eventos.

Você se diverte no trabalho?

Seja engraçado, seja bem humorado.

Nada melhor que uma boa risada para descontrair as tensões do trabalho.

O ambiente de trabalho é habitualmente carregado por disputas, fofocas, intrigas, metas e estresse.

As pessoas não mudam de repente, e algumas não mudam mesmo, mas aqueles que levam a vida com bom humor, desempenham um papel importante nas equipes, trazendo a leveza a que se referem os autores Adrian Gostick e Scott Christopher no livro – The Levity Effect.

 Os autores pesquisaram as bases de dados sobre ambientes saudáveis e produtivos de trabalho e chegaram a conclusões interessantes.

O ambiente de trabalho pode ser prejudicial à produtividade, com pessoas chorando pelos banheiros, e afastamentos por razão de saúde, ou pode ser favorável à produtividade com relações leves e transparentes, gente bem humorada e brincadeiras.

A leveza é uma coisa que pode ser praticada todos os dias, e mesmo as pessoas mais carrancudas acreditam que um pouco de humor é desejável.

O riso é o melhor remédio.

Estudos médicos revelam isso, e grupos do riso que trabalham em hospitais conseguem bons resultados com os pacientes, e no Brasil temos diversos grupos trabalhando nessa linha.

Todos se lembram do filme Patch Adams – O amor é contagioso, onde Robin Willians interpreta o caso real do médico que trouxe o humor e o riso para o tratamento dos pacientes.

Se isso funciona no hospital, imagina o efeito que produz no ambiente de trabalho, na rotina do dia-a-dia.

Como é você?

Você se descontrai quando chega hora da brincadeira?

Você é uma fonte de inspiração para brincadeiras?

Um artigo do ano passado em Você S/A, fala sobre o bom humor no trabalho e comenta o livro de Adrian e Scott.

Mas devemos atentar quando as coisas passam do limite.

Você não deve constranger as pessoas com as brincadeiras.

Você tampouco quer parecer boba ou distraída.

Quando você faz a observação: estava só brincando, é que avançou o sinal – foi mal.

Evite o sarcasmo, isso opera contra a leveza.

A leveza melhora o ambiente, melhora a qualidade das decisões e nos faz mais produtivos.

O trabalho é grande parte da nossa vida, devemos investir no bem-estar no trabalho.

Beco

Desenvolva o humor maduro.

Aprenda a olhar com humor até para as coisas doloridas do passado. Essa capacidade de sublimar a dor passada é um sinal de amadurecimento das pessoas.

Faça o exercício de contar alguma coisa que foi dolorida quando aconteceu lá no passado, mas com a superação, hoje, você consegue contar até quase como uma piada.

O humor ajuda a lidar com as coisas tristes.

Se não conseguimos rir das nossas desgraças do passado, é que ainda guardamos amargura com relação ao que passou.

Trabalhe esses pontos até tê-los digerido adequadamente.

A aceitação e a compaixão para consigo mesmo, são os ingredientes fundamentais para desenvolver o olhar sereno para a vida como um todo.

Já comentei bastante sobre o pessimismo e a maneira como as pessoas permitem que maus momentos contaminem tudo na vida numa postagem anterior: seja otimista.

Uma avaliação mais realista do verdadeiro impacto do incidente, evitando exagerar e dar uma de vítima, ajuda sobremaneira a sobrepujar com desenvoltura as fases difíceis da vida.

Diz Lou Macabasco no seu blog life to fullest, ao comentar sobre seis passos para a maturidade, que quem não tem a capacidade de rir de si próprio, deixa essa tarefa para os outros.

http://lifetofullest.com/steps-to-maturity/

Devemos aceitar o processo de cura que vem com o tempo. Você não vai acordar um dia e de repente tudo passou. Deixe o ferimento se curar. Deixar a ferida aberta por meio se fazendo de vítima indefinidamente é um mau negócio.

Por outro lado, buscar experiências alegres logo depois de maus momentos tampouco soa adequado. Ninguém sai de um funeral de um ente querido para uma noitada exuberante.

É preciso dar tempo ao tempo e desenvolver a capacidade de olhar o incidente com um distanciamento suficiente para enxergar algo engraçado.

Experimente e vai ver que funciona.

Beco

Um toque de humor.

Lidamos com muita coisa chata no dia-a-dia.

Por isso mesmo, inclua um toque de humor no seu dia.

Não seja carrancudo só porque as coisas são bicudas.

Na publicação de abril de 2009, a revista Scientific American Mind advoga que a riso e o humor não só melhoram os relacionamentos, mas ainda, nos tornam mais amigáveis e mais sexy.

Segundo a publicação, olhar para o lado bom da vida nos torna mais forte psicologicamente e reduz o sofrimento e fortalece os laços sociais.

O riso relaxa, e a capacidade de rir melhora a satisfação com a vida.

As pessoas que respondem mais ao bom humor são emocionalmente mais resilientes, se recobram mais facilmente dos reveses da vida.

Diz ainda o médico psiquiatra Clifford Kuhn que o bom humor e o riso melhoram o sistema imunológico, estabilizam a pressão sanguínea, massageiam os órgãos internos, estimulam a circulação e aumentam o fluxo de oxigênio para os músculos – e por isso reduzem a tensão.

O professor Rob Martin da University of Western Ontario, que estuda o humor e as implicações psicológicas, lembra porém, que o humor e o riso podem trabalhar contra a melhoria dos relacionamentos – quando utilizados para excluir, ridicularizar ou rejeitar uma pessoa de fora do grupo.

Enfim, não é desse humor agressivo de que estamos falando.

Use o humor que agrega, que relaxa e melhora o bem-estar.

Alegre o seu dia-a-dia.

Passe adiante.

Beco

Conserve o bom humor.

Especialmente com a idade, ficamos carrancudos, inflexíveis e chatos. Aprendi, no entanto, que a atitude bem humorada é um patrimônio valioso. É provável, que com a idade deixemos de ser úteis no sentido prático de prover e participar, mas podemos ainda ser indispensáveis para orientar, dar exemplo, ouvir e aconselhar.

Quando jovens, o bom humor faz com que sejamos queridos.