Humilhação Posts

Menos em você, mas não menos de você.

Já comentei outro dia que humildade não é humilhação.

Pense menos em você, mas nunca menos de você. Seja humilde e coloque os outros em destaque, cuide dos outros, mas sem se descuidar de você mesmo. Não pense menos de você, não se diminua, não se desvalorize, não se coloque por baixo.

É bastante possível exercitar a humildade com nobreza, com compaixão, com misericórdia, sem ser arrogante, ou mesmo se desmerecendo.

Quando olhamos mais pelos outros, exercitamos a generosidade, a afeição, a compaixão, e tudo isso nos coloca para cima, são virtudes que nos nutrem, nos tornam mais fortes, melhores pessoas.

Se morder a língua morre envenenado.

Porque temos que ter tanto pensamento ácido na ponta da língua. Assim vamos morrer envenenados se mordermos a própria língua.

Alguns escritos religiosos comentam que o golpe da língua quebra os ossos, de tão forte que é.

Para o nosso próprio bem, temos que moderar bastante aquilo que falamos de outras pessoas. Especialmente aquilo que falamos pelas costas.

Não abuse da boa vontade.

Não abuse da boa vontade dos outros e tampouco deixe que abusem da sua boa vontade.

As mulheres em especial, reclamam muito desse tipo de comportamento. Dizem os cientistas que elas foram desenvolvidas para gerar, cuidar e amar incondicionalmente, e quando essa atitude se estende para outros relacionamentos, pode ocorrer o abuso.

Desafiar a submissão.

Tenho que me rebelar à submissão. Quero ser autônomo, autêntico e consciente das ações e iniciativas que tomam o meu tempo.

A submissão significa alienação, e não quero ser um robô controlado pelos outros.

A realidade cotidiana é um mar de alienação. Assistimos às novelas, utilizamos os objetos, falamos na mesma terminologia e inevitavelmente acabamos querendo e comprando aquilo que nos alienam para comprar.

Não aceite humilhação.

Não dê uma de coitadinho.

Quando sentir que a situação é de humilhação, caia fora.

Não fique esperando para dar uma de mártir ou uma de capacho. Levante a cabeça e saia da situação.

Não raro, ficamos agüentando situações humilhantes e utilizamos a armadura de mártir ou de capacho.

Nenhuma das atitudes contribuem para o seu crescimento pessoal. Isso vai te manter lá embaixo.

Levante sua auto-estima.

Levante o nariz, não se coloque por baixo.

Evite tais situações.

Aprenda a identificar os ambientes totalmente artificiais – verniz puro- , onde a bajulação e o status social dominam a discussão.

Alguns contam suas histórias gloriosas de príncipe e outros contam suas agruras de mendigo.

Puro entretenimento circense.

Caia fora.

Beco