Fraquezas Posts

Procure os seus defeitos.

Procures os seus defeitos.

Procurar os seus para não procurar os dos outros.

Não raro, ficamos tão entretidos procurando defeitos nas outras pessoas que perdemos o caminho do nosso próprio aprimoramento pessoal.

Dizem que procuramos os defeitos nos outros para nos escondermos por detrás deles, e às vezes os defeitos que conseguimos identificar nos outros, são exatamente aqueles que temos nós mesmos.

Saber dos defeitos dos outros não nos ajuda muito, mas saber dos nossos defeitos, nos ajuda a aprimorar, a desenvolver e a crescer.

No final, após trabalharmos duro para nos livrarmos de tais deficiências, sentimos gratificados e fortalecidos.

É claro que não devemos exacerbar esse comportamento como tudo na vida.

O equilíbrio é tudo.

Uma pessoa que só procura defeito nos outros é arrogante, e aquele que fica permanentemente procurando defeitos em si próprio, pode ser um neurótico.

Uma pessoa que consegue ser honesta quando avalia suas deficiências, também será honesta avaliando suas virtudes.

Como disse Confúcio, o verdadeiro conhecimento é saber a extensão da sua ignorância.

Não somos perfeitos, e quando conseguimos identificar áreas onde podemos melhorar, devemos nos sentir abençoados por tal clarividência.

Quando dizem sobre transformar as deficiências em forças, entendo como corrigir e se livrar de tais deficiências e sair fortalecido desse processo.

Identificar a deficiência – se encher de coragem e energia para transformá-la – aprender e reforçar uma nova habilidade, força e competência.

Faça uma análise pessoal de tempos em tempos.

Reconheça as suas deficiências e reconheça o quanto você já avançou nessa melhoria pessoal.

Beco

Crescimento permanente.

O mundo tumultuado, competitivo e materialista quase que nos força ao esquecimento de que temos como objetivo principal na vida, o nosso crescimento pessoal permanente.

Queremos todos ser uma pessoa melhor a cada dia, mas é difícil se dar conta disso na correria para sobreviver ao trabalho, às finanças, dar conta das relações e da família.

No entanto, é fundamental para não nos desviarmos daquilo que dá sentido à nossa vida, o objetivo maior de crescimento pessoal.

Se você encontrou o seu caminho, siga nele, crie mecanismos para sempre te trazer para ele, pois é muito fácil pegarmos atalhos tortuosos.

É como o fio de Ariadne – precisamos ter um.

Quando Teseu ia cruzar o labirinto para matar o Minotauro, Ariadne lhe deu um fio que ele foi desenrolando enquanto prosseguia. Este fio o traria de volta, após concluída a empreitada.

Todos nós precisamos de um fio de Ariadne para nos trazer de volta para o caminho certo.

Um mecanismo bom é a reflexão serena sobre a sua busca, suas forças e deficiências, sua jornada e as pessoas envolvidas. Faça isso sempre que possível.

Reflita também sobre suas paixões, aquilo que te move, o motivo da sua ação, a sua motivação.

Mantenha uma visão de você no futuro – uma visão de você melhorada – caminhe para esta visão.

Faça a sua parte, se empenhe, seja resiliente, dê o melhor de si, pois as coisas não acontecem por acaso tampouco caem de bandeja.

Queremos fazer muito e fazer mais, mas é preciso que tenham significado e se encaixem na sua busca pessoal – vá com calma.

Faça boas escolhas, pois o caminho do crescimento pessoal, longe de ser uma rodovia sem bifurcações, te impõe também decisões críticas e importantes.

Se fortaleça emocionalmente e espiritualmente.

Acredite em você.

Passe adiante.

Beco

Foco nos seus pontos fortes.

Todos nós temos pontos fortes, embora tenhamos uma tendência a olhar muito para os pontos fracos.

As habilidades que te impulsionam para a felicidade não são aquelas de correr, nadar ou tocar instrumentos, mas sim de ser generoso, positivo, capaz de exercitar a empatia, capaz de cooperar e ajudar.

Aprenda a aceitar as suas inabilidades, pedindo ajuda e interagindo com outras pessoas nesses casos, e tire proveito dos seus pontos fortes.

Olhe para si mesmo e procure se conhecer melhor.

Coloque energia e dedicação para o auto-conhecimento.

Despenda menos tempo amargurado com seus pontos fracos, e mais tempo explorando os seus pontos fortes, este é o fundamento da psicologia positiva.

Segundo o site Reach-out, algumas características pessoais estão mais positivamente correlacionadas com a felicidade:

-gratidão;

-otimismo;

-entusiasmo e energia;

-curiosidade;

-habilidade para amar e ser amado.

Mushin Shilling, no seu blog: The Ecology of Life – A Ecologia da Vida, postou sobre as habilidades e a felicidade – coisas que ele aprendeu lendo Martin Seligman, o cientista da felicidade.

Nas palavras de Mushin, felicidade é quando: você pratica e faz algo no que é bom, e gosta de fazer, seguindo a sua intuição e o seu coração, como se transmitisse algo que vem da alma.

Após aplicar o teste sobre as próprias forças/virtudes/habilidades no site da Universidade da Pennsilvania, Mushin aprendeu que as virtudes e habilidades que ele mais valoriza são:

1-A capacidade de apreciar a beleza e a excelência nos mais diversos campos da vida – ciência, artes e experiências do cotidiano.

2-Criatividade, geniosidade e originalidade – pensar de formas não convencionais – dar o seu toque original.

3-A inteligência social, atentos aos sentimentos e motivações das outras pessoas, capazes de compreender as situações.

4-Curiosidade e interesse pelo mundo, fazendo perguntas, explorando e descobrindo coisas fascinantes.

5-Adorar aprender coisas novas, tanto nas aulas quanto por si próprio, lendo ou visitando lugares.

Se você tiver disposição para tal, pode entrar no site da Un.Pennsilvania e clicar no Via Survey of Character Strenghts na seção Engagement Questionnaires – faça o cadastro e aplique o teste.

Passe adiante.

Beco