Fraquezas Posts

Não seja um imã da raiva

Não seja um imã da raiva

Não a deixe a raiva tomar conta com qualquer coisa errada que te aconteça.

Raiva atrai a raiva, e esse efeito imã é uma armadilha.

A natureza humana está pronta para lutar ou fugir das ameaças que nos acontecem.

Ficamos raivosos com tudo que acontece de errado à nossa volta. Alguém ofende um amigo e ficamos com raiva. Um cliente é maltratado no supermercado e isso provoca um efeito negativo em nós mesmos.

Não invente desculpas esfarrapadas

Não invente desculpas esfarrapadas

Inventamos muitas desculpas para não fazer o que tem que ser feito.Nos autossabotamos, deixamos de fazer coisas importantes para nós mesmos e nos afundamos em hábitos ruins, e os ingredientes constantes dessa receita são as desculpas que inventamos para nós mesmos.

Quais são essas coisas que nos limitam?

Não se especialize em cuidar da vida alheia

Não se especialize em cuidar da vida alheia

Vivemos com muita gente ao nosso redor, seja no trabalho ou na vida familiar, e é uma tentação não bisbilhotar a vida alheia.

Cuide da sua vida, e já é muita coisa.

Vejo uma enorme inutilidade no aprofundamento na vida dos outros. Quem faz isto, normalmente leva uma vida fútil, movida por fofocas e fuxicos.

5 habilidades e virtudes que realmente te fazem feliz

5 habilidades e virtudes que realmente te fazem feliz

Você sabe o que faz feliz?

Temos todos pontos fortes e fracos, embora tenhamos uma tendência negativa de ficar remoendo os nossos pontos francos sem fazer nada a respeito.

As habilidades que te impulsionam para a felicidade não são aquelas de correr, nadar ou tocar instrumentos. Mais do que isso, é ser generoso, positivo, capaz de exercitar a empatia, capaz de cooperar e ajudar.

Aprenda a aceitar as suas deficiências, pedindo ajuda e interagindo com outras pessoas para corrigir, se aprimorar. Olhe para si mesmo e procure se conhecer melhor, e tire proveito dos seus pontos fortes.

Coloque energia e dedicação para o auto-conhecimento.

Despenda menos tempo amargurado com seus pontos fracos, e mais tempo explorando os seus pontos fortes, este é o fundamento da psicologia positiva.

Mushin Shilling, no seu blog:The Ecology of Life – A Ecologia da Vida, postou sobre as habilidades e a felicidade . São coisas que ele aprendeu lendo Martin Seligman, o cientista da felicidade.

Deixe ir a culpa

Deixe ir a culpa

Livre-se da culpa para viver em paz, e deixe ir essa carga enorme de infelicidade que te atinge quando se sente culpado ou sai culpando os outros.

No fundo, isso tem a ver com a prepotência. Quando nos culpamos, é porque não entendemos como nós – perfeitos que somos – cometemos tal erro.

Quando culpamos os outros, a lógica é invertida. Se fosse comigo – perfeito que sou – não teria cometido tamanha asneira.

Subconscientemente, acreditamos que a culpa e a prepotência funcionam como elementos de proteção, mas a nossa própria experiência tem demonstrado que o final costuma ser desastroso.

Seja transparente.

Seja transparente na sua conduta. Aja conforme o seu discurso. Não seja falso, falando de um modo e se comportando de outra maneira.

Muito facilmente apontamos e criticamos os outros e nos vemos cometendo os mesmos deslizes.

Gostamos de ensinar os outros, e especialmente os pequenos, temos o dever de fazer isso, mas temos que ser coerentes. Ao ensinar uma lição tem que demonstrar que você mesmo já aprendeu e praticou.

Não se esconda de si mesmo. Não se engane e busque os seus sonhos.

O caos familiar.

Estamos sujeitos a enfrentar o caos familiar, por mais que tenhamos nos empenhado, as coisas podem virar do avesso.

Isso pode acontecer por muitos motivos, uma separação, dependência química, alcoolismo, desemprego, ciúme doentio, delinquência e outros tantos fenômenos que podem ameaçar o convívio saudável.

Você deve ter em conta que nada é definitivo, e sempre é possível fazer alguma coisa.

No entanto, não assuma para si toda a responsabilidade – você não é a super-mulher.