Família Posts

A solidão pode matar

A solidão pode matar

O maior risco para a vida das pessoas é a solidão. Mais do que as doenças, mais do que tudo que você pode imaginar. Muitas doenças aparecem e se desenvolvem no árido terreno da solidão.

Recentemente assisti à palestra da Dra. Lissa Rankin, medica, pesquisadora e autora que abordava naquela oportunidade a importância de se preocupar com a solidão.

Traga de volta as lembranças felizes

Traga de volta as lembranças felizes

Faça um esforço para trazer de volta as lembranças felizes. Sempre quando arrumamos a nossa casa ficamos no dilema de guardar ou descartar alguns objetos que pertenceram aos nossos antepassados.

Tenho objetos que pertenceram aos meus avós, aos meus pais que já se foram, e gosto muito de trazer as boas lembranças que este objetos me remetem. Acredito que todos vivenciam o mesmo tipo de experiência no seu cotidiano.

Isso acontece quando reencontramos familiares

Não é feio pedir emprestado

Não é feio pedir emprestado

Temos que pedir ajuda sempre que necessitamos, e não há razão nenhuma para vivermos isolados.

Podemos também pedir emprestado, e não há nada de errado.

Importante – Não estou falando de dinheiro.

Sou imensamente grato pela vida e pelas pessoas que carinhosamente me acompanham nesta vida

A vida tem me proporcionado coisas incríveis.

Ontem, o dia em que completei mais um ano, fui surpreendido por centenas e centenas de felicitações que não tive a capacidade de responder uma a uma, o que gostaria de ter feito.

Sou imensamente grato por tudo que a vida tem me proporcionado, e Deus tem sido generoso em colocar no meu caminho pessoas maravilhosas que me acompanham, me ajudam, me incentivam e pavimentam o meu caminho com muito amor e amizade.

Hoje, mais maduro e sereno, avalio as mudanças que aconteceram na minha vida com muita gratidão por tudo e por todos. Os desvios de rumo que me foram dados percorrer, às vezes com sofrimento e penosa labuta, se revelaram a minha proteção, o meu crescimento e a explicação para a pessoa que vim a me tornar.

Deus tem sido misericordioso em me abrigar em todos os momentos de penúria, e preciso e certeiro em retirar, cirurgicamente, as pedras do meu caminho.

Tenho sido diariamente premiado com a alegria de viver, a possibilidade de ajudar e a graça de viver na companhia de todos vocês.

Rubens Sakay (Beco)

Percorra suas boas lembranças e faça uma viagem aos bons tempos

Percorra suas boas lembranças e faça uma viagem aos bons tempos

Fazemos isso seguidamente, mas devemos fazer com o espírito agradecido, sem arrependimentos ou culpa.

Tudo que vivemos de bom aconteceu por merecimento e persistência.

Temos que percorrer as nossas lembranças com muita alegria.

Desenvolva a capacidade para se transportar para situações agradáveis do passado, um passeio de barco, uma paisagem exuberante, o frio agradável das montanhas.

Segundo estudo, melhores lembranças são com avós – amigos e outros familiares completam lista

Segundo estudo, melhores lembranças são com avós – amigos e outros familiares completam lista

Somos seres sociais e gregários, temos uma satisfação natural quando estamos junto de pessoas queridas.

Procure se encontrar com amigos íntimos ou familiares queridos.

Vascular o álbum de fotografias e relembrar bons momentos vividos é algo que vale a pena fazer.

Isso nos ajuda a manter bons relacionamentos bem como manter acesa na nossa memória o relicário de momentos felizes.

Outro dia, Gretchen Rubin reportou no seu blog que um estudo seu mostrou que os momentos mais felizes relatadas pelas pessoas foram aqueles como passados em companhia dos avós.

Quando os outros nos fazem felizes, segundo dois estudos

Quando os outros nos fazem felizes, segundo dois estudos

Podemos achar que seremos felizes quando tivermos o melhor carro, uma casa elegante e uma vida confortável, mas a ciência mostra o contrário. Pesquisas científicas, indicam que mais do que as condições materiais, são as outras pessoas que nos fazem felizes. Em um estudo realizado em 2002 por dois fundadores da ciência da felicidade, Ed Diener e Martin Seligman, que avaliaram o nível de felicidade de estudantes. Não surpreendentemente, constataram que os mais felizes são aqueles que têm um ou mais amigos de confiança, os chamados amigos do peito. Ter muitos contatos aparentemente não influi muito na felicidade dos indivíduos. O que conta mesmo é a qualidade dos relacionamentos, a profundidade, a confiança nelas depositada.

Isso inclui também os familiares. Não escolhemos os nossos familiares, mas certamente nos afeiçoamos mais a uns dos que a outros. Ter laços fortes com alguns favorece enormemente a felicidade.

E os cientistas conseguiram descobrir mais!