Empatia Posts

Não seja vítima das pequenas irritações cotidianas

Não seja vítima das pequenas irritações cotidianas

Às vezes chegamos ao final do dia exaustos de lutar com tantas irritações cotidianas.

Deixe de ser vítima de cada pequena contrariedade.

O cotidiano frenético nos premia com muitas pequenas irritações.

Empatia: uma das mais difíceis e importantes características

Empatia: uma das mais difíceis e importantes características

A correria do nosso cotidiano nos desliga dos sentimentos das outras pessoas. Vivemos as situações com os outros, mas o fazemos no automático.

E também, é difícil, quando estamos muito centrados em nós mesmos, perceber os sentimentos das outras pessoas.

Essa tarefa é bastante prejudicada quando estamos focados na aparência das pessoas e no seu status.

Da mesma maneira como escondemos os nossos sentimentos as outras pessoas fazem o mesmo, tornando difícil um relacionamento transparente, rico e construtivo.

Esteja atento, perceba o que está ocorrendo por detrás da capa superficial das pessoas, respeite as diferenças e conviva bem com as pessoas.

O exercício da empatia

Exercite a empatia, e com o tempo e a prática você vai incorporar isso no seu modo de vida.

Se coloque na pele do outro. Faça esse exercício. Esta prática leva a maior compreensão das pessoas, melhora e fortalece as relações, e fortalece a própria pessoa.

O foco desta prática pode ser qualquer pessoa ou situação. Uma pessoa que sofre de alguma doença. Alguém que sofre uma perda grave seja de um ente querido, um emprego, ou mesmo algo material.

Reative os seus grupos de amigos

Reative os seus grupos de amigos

Contate aquele amigo que não vê há tempos. Não se distancie daqueles que enchem o seu coração.

A nossa saúde e felicidade está bastante associada aos grupos que pertencemos. Com o avançar da idade, e com a correria do dia a dia, deixamos de participar dos nossos grupos, e deixamos também de formar novos grupos. Além do que, passamos mais tempo isolados na frente do computador, e agora, conectados a um mundo websferico todo ao alcance da mão.

Não precisa criticar

Coloque sua energia em construir, edificar e melhorar o mundo que está a sua volta.

Procure ser uma pessoa melhor um dia de cada vez, e evite tantas críticas dirigidas aos outros e a si mesmo. Aceite as pessoas como são, e aceite a si mesmo naquilo que não consegue mudar. Quando aceitamos, nos libertamos daquilo que tanto nos incomoda e com isso, estamos mais aptos a seguir em frente na nossa vida.

Se afeiçoe aos pensamentos que te tiram da negatividade. Aprenda a identificá-los, e tenha um carinho grande por eles, pois eles brotam daquilo que você tem de mais forte, aquilo que explica a sua resiliência.

Pontos em comum.

Procure os pontos em comum que tem com a outra pessoa. Olhe com curiosidade para os mesmos interesses e estabeleça uma conexão a partir daí. O desenvolvimento da valiosa virtude da compaixão se inicia com a percepção de que somos iguais, desfrutamos da mesma experiência humana, seja ela boa ou ruim.

Há sólidos registros de que a sociedade americana apresentou índices maiores de compaixão depois do atentado de 11 de setembro, e isso normalmente acontece quando nos defrontamos com dificuldades, vivemos crises ou mesmo desastres.

A busca de pontos em comum nos impulsiona para a solidariedade, e de maneira mais profunda, a compaixão.

Mas não precisamos viver uma crise pessoal para buscar a compaixão. Podemos exercitar mesmo em tempos de calmaria.

Não julgue os outros pelos atos.

Não julgue os outros rapidamente. Somos rápidos para julgar os outros pelos seus atos, mas temos que refletir com cuidado o que está por trás dos atos, quais são as intenções que levaram à realização de tais atos.

Na verdade não sabemos as reais intenções, e temos que fazer alguma inferência. O que não devemos fazer é julgar somente por aquilo que vemos, os atos em si.

Quando se trata de nós mesmos, levantamos as nossas intenções, as quais utilizamos para justificar o que fazemos e não fazemos. Julgamos os outros pelos atos e julgamos a nós mesmos pelas intenções.