Cuidado Posts

Às vezes é só um telefonema.

Quantas vezes fomos confortados por uma simples ligação telefônica.

Faça isso também para os outros. Se você tem algum amigo em dificuldades, alguém que precisa de um apoio emocional. Ligue para ele, mande um SMS, um email, mostre que você se preocupa.

A distância não é uma desculpa. O esforço para ligar é mínimo. É mais uma questão de atitude, acreditar que pode fazer diferença.

As relações pessoais são muito importantes. Especialmente numa hora de estresse emocional, precisamos de alguém para nos confortar.

Não pegue carona nos problemas dos outros.

Ajudar os outros é muito importante, mas embarcar nos problemas dos outros é algo que devemos evitar.

Não quero com isso dizer que você deve agir friamente diante do sofrimento alheio.

Mas sinto às vezes que temos uma tendência a seguir de carona nos problemas dos outros. Nem bem alguém conta um problema e eu já me enveredo imaginando que tenho o mesmo problema.

Isso é um efeito contagioso que temos que bloquear.

Cuidado com a pessoa que está sofrendo.

Quando nos deparamos com uma pessoa em sofrimento, o sentimento mais adequado é a compaixão.

Não é sentir pena, indignação ou impotência.

Compaixão significa sentir você mesmo a dor da outra pessoa e querer que essa dor cesse.

Entenda o que está acontecendo.

Filtre suas reações, para não fazer nada grosseiro e inadequado.

Não julgue, não critique, e procure ajudar no que puder.

Quando estamos em dificuldades, podemos estar também com a auto-estima baixa e enfraquecidos emocionalmente. Tudo o que não precisamos é alguém nos criticando.

Um cuidado especial para ajudar quem está em dificuldades.

As pessoas podem se ofender facilmente, podem se magoar e romper relações. Procure não dar palpites, não botar o dedo na ferida.

Quando estamos por baixo, queremos mais é nos enfiar debaixo das cobertas e deixar a tempestade passar, críticas desnecessárias nos colocam mais para baixo.

Quando o caso é de depressão, você pode encorajar o amigo a procurar um profissional.

Alguns conselhos que habitualmente damos às pessoas deprimidas tais como: saia dessa depressão, levante a cabeça, saia dessa inércia – não ajudam em quase nada, pois as pessoas não têm energia suficiente para sair sozinho dessa situação.

Você tem que estender a mão e ajudá-la a se levantar.

Quando há um  motivo concreto para o sofrimento, por exemplo a perda de um ente querido, você pode prestar solidariedade até que a situação amenize;

Uma outra situação é quando a pessoa sofre por uma percepção negativa da realidade, e com muita habilidade, elas pode ser ajudadas a melhorar a percepção.

A primeira coisa é ser amigo, mostrar amizade, o ombro amigo, uma disposição mais para ouvir do que falar.

Se você sabe a fonte ou a causa do sofrimento e puder ajudar na eliminação ou redução do efeito, deve fazer, sempre que possível.

Quando estamos no olho do furacão, perdemos a capacidade de enxergar o problema de maneira adequada, e uma pessoa amiga pode ajudar a buscar uma solução.

Não fique empurrando a pessoa para lutar contra algo que ela não tem condições de fazer.

Aponte para a pessoa a rede de ajuda que ela pode recorrer, pois a auto-estima baixa impede que a pessoa enxergue a ajuda que pode obter, até porque não se julga merecedora de ajuda.

Seja específico na ajuda, quando for possível.

Eu vou te ajudar com o problema da casa por uns dias e depois vamos procurar alguém para ajudar com o outro problema.

Tenha especial cuidado com os problemas de relacionamento, são muito difíceis de opinar e até de ajudar.

Uma recomendação para quem quer ajudar o outro, é se manter fortalecido. É muito difícil um doente ajudar outro doente.

Ninguém vai encher a vida do outro com um balde vazio.

Beco

Aprenda a cuidar de si antes de cuidar dos outros.

Como vamos encher a vida dos outros com um balde vazio?

Temos que aprender a encher a nossa vida de significado para então ajudar os nossos familiares e amigos próximos, na sua jornada.

 Se faça sempre a mesma pergunta. Estou cuidando de mim hoje?

Cuidar de si para poder cuidar dos outros.

Na verdade fazemos o contrário.

Vivemos metendo o nariz na vida dos outros, dando palpites e apontando soluções para os problemas dos outros, enquanto adiamos as soluções para os nossos próprios problemas.

Me ocorre agora, a recomendação que ouvimos da comissária de bordo nos aviões sobre as máscaras de oxigênio. No caso de despressurização da cabine, devemos antes de colocar a máscara nos outros, colocar em nós mesmos.

Li esta observação no blog de Michael Angier, sobre cuidar de si.

Relembra Michael que temos sempre que reaprender a não colocar os outros na frente de nós mesmos na lista de prioridades.

Quando evitamos delegar, tentando fazer tudo à nossa maneira, sem delegar, deixamos transparecer o problema de pensar pouco em nós mesmos.

Estamos na verdade nos sacrificando, em benefício de outros. Isso não é só uma questão de delegação, mas de auto-valorização, de auto-estima.

Ele comenta sobre 3 pontos fundamentais para cuidar melhor de si mesmo:

1-Tire um tempo para si mesmo. Aproveite para se revitalizar.

2-Pague você antes dos outros. Isso tem muitos significados, muitas vezes não monetários. Reconheça o seu esforço antes de reconhecer o dos outros.

3-Se exercite. Isso pode parecer simples, mas é o mais negligenciado por todos. Cuide da saúde e não perca qualquer oportunidade para fazer algum exercício.

Você, melhor que ninguém, sabe o quanto isso é importante e te faz bem.

Li comentários interessantes sobre o assunto de hoje, de médicos e professores, que dizem ser impossível ensinar ou ajudar os outros sem que antes ensinem e ajudem a si próprio.

Não se sinta egoísta, não se sinta culpado e tampouco tenha receio de ser criticado por cuidar melhor de si próprio.

Beco