Cotidiano Posts

O tempo que desperdiçamos nos entretendo com coisas que não são da nossa conta

O tempo que desperdiçamos nos entretendo com coisas que não são da nossa conta

A vida é curta e não sabemos ao certo se teremos tempo para fazer tudo que gostaríamos de fazer, e por isso, considero um total desperdício de tempo ficar cuidando de picuinhas, se metendo na vida alheia.

Gastamos uma parte da nossa energia e paciência, preocupados com coisas que não são da nossa conta.

Quem casou com quem.

Quem ganhou quanto de salário.

Quem ganhou o quê de presente.

Quem deu azar nisso ou naquilo.

Quem teve a sorte nisso ou naquilo.

O que os outros pensam, em grande parte não é da minha conta.

Ninguém é insubstituível, passe adiante o bastão

Ninguém é insubstituível, passe adiante o bastão

Ninguém é insubstituível e chega uma hora em que devemos passar o bastão para os outros.

Temos que ter sucessores nas nossas empreitadas.

Na condução da liderança familiar pode chegar a hora de passar as decisões para os filhos. Faça isso com serenidade.

Ensine e passe adiante o que aprendeu. Não vamos durar para sempre, e seria uma pena ver todo esse conhecimento e experiência desperdiçados.

Não faça por se tornar insubstituível. Evite segurar o bastão até o derradeiro momento.

Ensinar o que aprendeu, principalmente para os pequenos é fundamental, é um sinal de humildade, generosidade e também de inteligência, pois não vamos durar para sempre.

Passe o bastão da fé, da coragem, da persistência.

Passe o bastão da honestidade, da amizade do coleguismo.

Não queira entender de tudo e ter uma opinião formada sobre tudo

Não queira entender de tudo e ter uma opinião formada sobre tudo

A nossa vontade de ter razão em tudo atrapalha muito, e se abandonarmos essa tentação, vamos nos permitir caminhar com mais leveza.

A guerra para que nossa opinião prevaleça sobre os demais é uma fonte de estresse e de infelicidade.

Pra que ter razão em tudo?

Somos os donos da verdade?

Temos o monopólio da sapiência plena?

Procure o seu grupo, esteja junto das pessoas

Procure o seu grupo, esteja junto das pessoas

Somos seres sociais e gostamos de estar com as pessoas.

Embora tenhamos amigos de todo tipo, sentimos às vezes, necessidade de encontrar pessoas que tenham o mesmo tipo de interesse, que façam coisa parecida e possam compartilhar do mesmo tipo de discussão.

É a expressão usual – encontrar a sua tribo.

Segundo Celestine Chua

Celestine Chua, em postagem no site Dumb Little Man comenta exatamente isso e passa algumas recomendações, que comento aqui.

Por vezes, queremos nos relacionar com pessoas com o mesmo tipo de ocupação profissional, prática de esporte, atividades artísticas, e isso pode ser mais fácil do que você imagina.

1-Pessoas que você conhece

Celestine recorre à lei dos 6 graus de separação, para dizer que as pessoas com o mesmo interesse que o seu estão aí, quase ao alcance da mão. A regra diz que todos os indivíduos no mundo estão conectados dentro da regra de 6 graus. Um amigo seu, 1 grau, amigo do amigo, 2 graus e assim por diante, em seis degraus, vamos nos conectar com todos. Há um bocado de matéria na Web sobre essa teoria, incluindo experimentos e palestras. Se desejar, pesquise o termo “six degrees of separation” e vai encontrar um mundo de informação para se atualizar.

2-O seu local de trabalho

Isso vale tanto para o trabalho quanto para a escola. O sistema de recrutamento das empresas, as carreiras e as profissões escolhidas, bem como as escolas que escolhemos freqüentar, já nos colocam num grupo de pessoas com alguma afinidade, e isso deve ser considerado para se procurar os iguais.

3-Clubes e comunidades

Veja as comunidades como um hub de concentração de pessoas de mesmo interesse. Isso vale para os clubes de recreação, clubes profissionais, por exemplo, escritores, grupos de interesse culturais, e redes sociais.

4-Inicie um blog

Essa é a própria experiência de Celestine, que escreve o blog – The Personal Excellence Blog – Não é uma recomendação comum para quem quer iniciar a busca dos iguais, mas funciona. No caso do Celestine, ela se conecta com 10000 leitores de interesse comum, o que aconteceu em 2 anos de existência do blog.

5-Eventos

Os eventos de network, comunidades, podem ser uma chatisse de troca de cartões, mas alguns são muito valiosos. É bom garimpar e freqüentar os mais significativos.

6-Seminários/Workshops

As pessoas, dedicadas e especializadas não dedicariam tempo e dinheiro para participar de seminários, sem que fosse produtivo, e isso torna essa modalidade interessante.

7- Procure e contate

Há várias maneira de procurá-los, por exemplo o Linkedin, Facebook e os próprios blogs. São recursos fáceis de usar, e embora algumas pessoas se sintam constrangidas em usar, é um lugar comum tal prática.

Rubens Sakay (Beco)

Preste atenção nos detalhes do seu cotidiano

Preste atenção nos detalhes do seu cotidiano

Fique atento para os detalhes do seu cotidiano. Aproveite a caminhada e preste atenção em tudo que se passa no dia a dia.

Não deixe a vida passar em branco. A vida se passa enquanto perseguimos os objetivos.

A vida não é o que vivemos e sim o que lembramos que vivemos.

Os maiores obstáculos à felicidade

Os maiores obstáculos à felicidade

Falo muito dos obstáculos à felicidade, e tenho um material que está se transformando num futuro e-Book que devo disponibilizar gratuitamente. Leio muito sobre o que outros especialistas apontam como obstáculos, e recentemente ao ler uma postagem no blog budista – find happiness. Aprendi que um obstáculo à felicidade é enxergar apenas o problema em si, sem perceber que o maior problema está na nossa mente, na maneira como vemos as coisas. Isso é sem dúvida o principal insumo para a ruminação interminável que frequentemente fazemos quando estamos enfrentando um problema em particular.

A discussão antiga sobre o materialismo e a felicidade

A discussão antiga sobre o materialismo e a felicidade

Dinheiro traz felicidade?

Devo comprar um bem ou investir numa viagem de férias?

É uma luta diária se se proteger um pouco de tanto apelo materialista.

O novo modelo do celular, o carro novo, a roupa de marca, a aparência, a imagem, enfim, vem de todos os lados.

Devemos entender que a escalada do materialismo é fonte segura de realização apenas para as grandes corporações, e não para nós, simples indivíduos.

Esses poderosos arrumaram até um mecanismo para não termos que nos deslocar para o shopping center para comprar as últimas novidades, podemos fazer isso pela internet.

Leo Babauta do ZenHabits passa algumas recomendações para se livrar do materialismo.