Confusão Posts

Segundo compromisso

Segundo compromisso

O segundo compromisso de Don Miguel Ruiz que foi divulgado em seu livro “Os Quatro Compromissos” é – não leve nada para o lado pessoal. Explico nessa postagem esse segundo compromisso em continuidade ao primeiro que expliquei em postagem anterior.

O segundo compromisso:

Não levar para o lado pessoal significa não tomar partido não tomar ao pé da letra tudo que ouve sobre você.

Se fizerem um comentário maldoso sobre você, não assuma que isso seja verdade e não saia rebatendo como uma agressão ou ofensa. Não tome partido em tudo que ouve. Experimente a indiferença, especialmente quando a fonte dessa observação não merece consideração, ou venha contaminado de raiva, ressentimento.

O veneno:

Não deixe que o veneno que atiram para você te atinja assim, facilmente.

As pessoas fazem os comentários motivado por algo que se passa dentro dela, e você não deve assumir isso como algo seu, que te diga respeito, que seja sua responsabilidade. Deixe passar.

Os filtros:

As pessoas enxergam a realidade segundo os próprios filtros, e suas observações são distorcidas por conta desses filtros, e você não deve aceitar isso como verdade. Não deve aceitar que tais observações impactem sua vida sem o devido desconto.

Não tome literalmente – dê um desconto.

Carga negativa:

Quando aceitamos e assimilamos tudo que dizem a nosso respeito, carregamos essa carga negativa sem questionamento.

É como se colocassem pedras pesadas na nossa mochila e saíssemos carregando sem reclamar.

Não aceite e nem leve para o lado pessoal.

Perceba os comentários como algo que chega pelo ar e vai passando ao largo sem te afetar.

Rubens Sakay (Beco)

Barreiras e adversidades

Barreiras e adversidades

Não há como evitar algumas mudanças de rumo, barreiras e adversidades que aparecem de repente.

Devemos todos estar serenos para lidar com o que a vida nos reserva. Prontos para agir, mas com a calma necessária para seguir em frente sem se desesperar.

Na escuridão, não enxergamos e nos confundimos

Na escuridão, não enxergamos e nos confundimos

Precisamos da luz para nos reconhecermos na escuridão. Com a luz, ganhamos identidade, individualidade, mostramos a nossa cara. Temos que evitar a sombra da ignorância.

Me recordo sempre da canção muito antiga de Sergio Endrigo, “Pesci Rossi”. A canção começa assim: “come faranno i pesci rossi in fondo al mare a riconoscersi tra loro tutti  neri nell’oscurità”.A canção explica que na escuridão todos os peixes são pretos. Sendo assim, como é que os peixes vermelhos vão se reconhecer, como se destacarão dos outros peixes na escuridão do fundo do mar.

6 atitudes para tomar quando o barco está afundando

6 atitudes para tomar quando o barco está afundando

Os problemas podem nos bombardear de tal maneira que em algum momento sentimos que o barco está afundando e que não vamos nos salvar.

Às vezes, parece que as bóias sumiram, as águas traiçoeiras nos puxam para baixo. A vida é assim.

Como sobreviver?

Vou transcrever aqui uma postagem de Christopher Foster publicada no Goodlifezen, com o título: como a catástrofe pode abrir as portas para uma nova vida.

Foster se sentiu afundando aos 63 anos, quando sua esposa faleceu às vésperas de comemorar 25 anos de casado. Ele decidiu abandonar a comunidade espiritual que frequentou por 36 anos.

Não coloque a carroça na frente dos burros, vá com calma e não force as situações

Não coloque a carroça na frente dos burros, vá com calma e não force as situações

Muitas vezes perdemos a calma e forçamos as situações, o que acaba complicando mais a nossa caminhada. Temos muita ansiedade para ver as coisas resolvidas e projetos concluídos.

Às vezes tentamos encaixar coisas que naturalmente não se encaixam.

É como o bebê tentando encaixar o cubo no buraco redondo.

Nós nos alteramos quando falamos, forçamos a barra para as coisas acontecerem.

Não raro, isso resulta em atrito, conflito e infelicidade. Tenha calma. Às vezes é bom deixar a poeira se assentar e voltar com calma para buscar a solução adequada.

Traga a luz para transformar a escuridão

Traga a luz para transformar a escuridão

Na nossa caminhada, passamos por trechos iluminados e confortáveis e outros sombrios e amedrontantes, e para estes últimos, temos que carregar a luz para amenizar as sombras, para transformá-los em experiências positivas.

Não deixe que a negatividade domine os seus pensamentos e atitudes. Sempre que tiver em dificuldades, na adversidade, pense em trazer a luz para iluminar os seus pensamentos e as suas ações.

Muitas coisas obscurecem a nossa visão, a raiva, os ressentimentos, a inveja, a culpa e o desejo de vingança.

Trazer a luz significa iluminar essas coisas obscuras, deixando mais claro o caminho, as decisões, as alternativas e soluções.

Em meio à escuridão, não enxergamos por onde caminhamos, não percebemos os obstáculos e sequer dominamos os nossos próprios movimentos.

Se trate com honestidade

Se trate com honestidade

Costumamos dizer que nós somos os nossos piores juízes, pois somos excessivamente duros quando olhamos para os nossos erros, dúvidas e conflitos.

Nos sentimos particularmente diminuídos à menor percepção de que não estamos nos igualando aos outros em alguma característica social ou econômica.