Comunicação Posts

O que a ciência diz sobre o amor real

O que a ciência diz sobre o amor real

Temos que acreditar e investir no amor real pois ele é tudo de bom. Sabemos hoje dos incontáveis benefícios não só no aspecto social quanto físico e emocional. O amor tem várias fisionomias, e qualquer que seja a sua apresentação, acho que o amor é o máximo. O amor conjugal, fraterno, materno, e principalmente aquele que podemos praticar a todo momento.

O amor é sutil, é uma profunda satisfação quase sem explicação, e não vale a pena tentar explicar, pois a racionalidade não alcança essa sutileza.

O nosso dia a dia é uma correria, onde a expressão dos sentimentos é quase uma coleção de pequenos fragmentos. Mas sei que experimentar alguns momentos de amor profundo te permite ir e vir na profundeza do seu eu. É como ir lá no fundo beber um pouco da energia para subir e seguir conduzindo a vida de forma mais leve e revigorada.

Amor real

Diz Dr. Greg Baer, um médico que escreve sobre o tema amor, que o amor real, o amor genuíno, é aquele que quer a felicidade do outro sem esperar qualquer coisa em troca. O amor é uma profunda expressão

Ouvir é um ato de amor

Ouvir é um ato de amor

Não prestamos mais atenção às pessoas, e muito menos ao que elas têm a dizer.

Estamos conversando com os outros, mas prestamos atenção apenas naquilo que dizemos – mais parece um monólogo.

Quando estamos com os outros, devemos estar presentes de verdade, e ouvir atentamente o que os outros têm a dizer, é um ato de amor, de generosidade.

Você ouve ou só espera sua vez de falar? Cuidado!

Você ouve ou só espera sua vez de falar? Cuidado!

Preste atenção nas pessoas e mais ainda naquilo que elas estão dizendo.

Aprendemos com as nossas experiências e aprendemos muito mais com as outras pessoas.

Apesar de termos dois ouvidos e uma boca, corremos sempre o risco de falar mais do que ouvir.

Os outros estão falando, lições valiosas estão sendo repassadas, mas estamos tão concentrados nas nossas idéias que sequer ouvimos o que nos é passado de graça.

Ouça o que o outro está dizendo.

Conhecer as pessoas, conhecer a sua mente, aprender com as experiências alheias é um recurso que não devemos desperdiçar.

Aprendi algo valioso de uma postagem do Dumb Little Man- tips for life (pequeno e estúpido homem- dicas para a vida) sobre aprender a ouvir.

Serenidade na maneira de falar

Serenidade na maneira de falar

Nós nos metemos em tantas confusões simplesmente pela maneira de falar, às vezes agressiva, e muitas vezes inflexível e prepotente.

Às vezes, os temas não são polêmicos, mas a maneira como colocamos, os tornam conflituosos, polêmicos, trazendo para a discussão muita má vontade e impossibilidade de convergência.

Dependendo da maneira como você fala, a outra pessoa pode entender uma coisa totalmente diferente. O conteúdo verbal é uma coisa, e a comunicação não verbal é outra.

O calor humano é fundamental

O calor humano é fundamental

Transmita calor humano nas mínimas interações, seja com o caixa do supermercado, nos corredores de um hospital, onde estiver, deixe que o seu lado humano e caloroso transpareça nas interações.

Dar bom dia.

Dizer obrigado.

Dar um sorriso.

Isso vai fazer bem aos outros, vai te fazer mais feliz e segundo a matéria da BBC, vai proteger o seu coração.

As respostas que recebo

As respostas que recebo

Temos que estar sempre abertos para as respostas que vamos receber.

Às vezes estamos tão fechados em nós mesmos, que não percebemos quando a vida nos dá as respostas de que necessitamos.

Quando estamos abertos para aprender, o professor aparecerá, diz um ditado antigo – isso quer dizer que a mensagem ou a resposta será assimilada e a lição aprendida somente quando estivermos abertos para aprender.

Mas o que é que acontece corriqueiramente?

Da boca pra fora

Da boca pra fora

Não diga as coisas da boca pra fora.

Se você não acredita nisso, não repita. Não diga por aí o que você não pensa.

Evite dizer da boca para fora, dizer por dizer.

Dizem que quem fala demais dá bom dia a cavalo, e falar uma coisa e pensar outra é ruim para a sua imagem e para você mesmo.

Procure dizer o que é realmente é a sua convicção, o que pensa, o que sente.

Sabemos que muita sinceridade também traz problemas, mas ser verdadeiro naquilo que diz tem muitas vantagens.