Busque o contentamento.

Dizem alguns especialistas que não devemos buscar a felicidade, pois ela não é um destino, e sim uma atitude frente a vida. É uma disposição para ser feliz durante a caminhada da vida.

Somos felizes de verdade quando nos damos conta da riqueza que é a estrada da vida, e a abundância que ela nos oferece.

Escreveu Leo Babauta do blog ZenHabits que devemos nos concentrar mais no contentamento. Pois é uma coisa mais estável, e o contentamento pode nos ajudar a desenvolver a habilidade para subtrair satisfação das mínimas coisas da vida.

É o conceito que escrevi um dia sobre ser mais satisficiente, um termo que não existe, mas significa estar mais satisfeito com a sua vida.

Insatisfação:

A insatisfação puxa a infelicidade, afasta a alegria e tira o sabor da vida.

Quando estamos mais satisfeitos e contentes com a vida, não só aproveitamos melhor, quanto estamos mais preparados para fazer as mudanças desejadas e muitas vezes necessárias.

Não falo aqui da acomodação ou resignação.

É o paradoxo da mudança em ação. Quando aceitamos o que somos é que estamos preparados para mudar.

É o mesmo paradoxo da batalha. Quando paramos de resistir e nos rendemos, é que estamos prontos para vencer a batalha.

Damos muito murro em ponta de faca, e o que resiste persiste. Estamos numa luta inglória contra as coisas que não vamos conseguir mudar nunca, e assim desistimos de mudar a si mesmo.

Tampouco o sucesso representa a felicidade ou contentamento, pois o atingimento de alguns objetivos que classificamos como sucesso pode ter uma conotação totalmente externa. Pode ser a euforia que tais sucessos trazem, e isso passa muito rapidamente.

Leo Babauta:

Segundo Babauta, um ponto importante é o contentamento consigo mesmo.

Quando criança, vivemos e desempenhamos sem muita autocrítica e nos julgamos muito sabidinhos e engraçadinhos. Mas na medida que crescemos, a sociedade nos empurra uma autocrítica e acabamos insatisfeitos com a carreira, casamento, preferências e modo de vida.

Temos que acreditar em nós mesmos e parar de nos sabotar.

O contentamento é diferente de estagnação. Estou satisfeito com o que tenho e não vou fazer nada o dia inteiro. Isto te libera para pensar em mudar as coisas. Para olhar positivamente para a própria vida, aceitando a si próprio e acreditando na sua capacidade de ser uma pessoa melhor.

Sinta-se bem consigo mesmo e se conecte com o seu ser interior, seus ideais, seus valores e seus sonhos.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta