Brigando consigo mesmo.

Você já se pegou brigando consigo mesmo?

Pare com essa discussão interna excessiva e inadequada.

Dê um crédito a si mesmo.

Acredito na sua capacidade. Você consegue.

Não desanime:

Sei que as dificuldades podem parecer demais, mas você tem razões de sobra para não desanimar.

Transforme essa crítica interna numa força interna.

Não use a tradicional taxa de desconto para o seu sucesso – a sorte.

Quando não nos valorizamos, costumamos atribuir à sorte o resultado do nosso esforço. Temos que nos dar crédito pelas realizações.

Quando damos muito crédito à sorte, estamos descontando da nossa capacidade e autoconfiança.

Aprendizagem:

Até a pessoa mais competente poderia ter tropeçado na mesma casca de banana. A boa notícia é que podemos aprender com nossas quedas, e não há nada de mais.

Trabalhe a crítica interna como uma correção de rumos e uma aprendizagem e não como um tempo gasto na auto-depreciação.

Não se culpe. Você não é perfeito. Aliás, ninguém é.

Tem algo errado comigo – tem algo errado com esta afirmação.

Reconhecer que algo está errado é diferente de se achar errado.

Quando você reconhecer que algo está errado, analise o problema até a causa real, até a raiz do problema, evitando ficar na auto-crítica.

Veja se você não é muito crítico e rigoroso com os outros, pois isso é um sintoma de quem é excessivamente crítico consigo próprio.

Não se chame de estúpido – não seja tão crítico.

Não se dê adjetivos depreciativos.

Problemas, dificuldades e falhas fazem parte da nossa vida, mas podemos sobrepujar, aprender e evoluir.

Quando você estiver iniciando uma discussão interna, procure a variante racional. Busque as evidências objetivas e a conversa vai ser melhor.

Rubens Sakay (Beco)

1 Comentário

Jessica

about 5 anos ago

Muito Obrigada pelas sábias palavras. :)

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta