Rubens Sakay Posts

Reagir ou responder

Reagir ou responder

A questão entre reagir ou responder está no ponto central do nosso desenvolvimento pessoal, especialmente nos aspectos emocionais e neurofisiológicos.

Na semana passada conclui o curso de 8 semanas MBSR – Mindfulness Based Stress Reduction, que nos ensina a treinar a mente e o corpo para responder adequadamente às circunstâncias da vida evitando reagir de maneira rápida e equivocada e muitas vezes perigosa. Vou contar as melhores lições.

As vidas que tocamos

As vidas que tocamos

As vidas que tocamos no nosso trajeto são mais importantes que os objetivos alcançados ou o sonho realizado. No sábado passado estava assistindo um video de Neale Donald Walsh que trouxe essa reflexão.

Disse ele que estava com cinquenta anos e refletindo sobre a sua vida e tudo que havia realizado, fez a seguinte pergunta a Deus:

Vingança ou perdão

Vingança ou perdão

Vingança ou perdão pode parecer um eterno dilema para muita gente, mas Leo Babauta no seu blog Zen Habits nos ensina como resolver essa questão e ser mais feliz. Vou repassar alguns pontos que me sensibilizaram sobre essa questão e recomendo que acessem o Zen Habits e leiam o texto do próprio autor.

Quarto compromisso

Quarto compromisso

Comentei em postagens anteriores os compromisso de Don Miguel Ruiz e hoje comento o quarto compromisso : Sempre dê o melhor de si.

Compreenda bem a si mesmo, e em qualquer circunstância, dê o seu melhor. Aprenda sobre as limitações, mas não se intimide com elas, e não invente desculpas baseadas nas suas limitações.

Primeira hora do dia

Primeira hora do dia

Na primeira hora do dia, a sua vida pede para ser retomada. Nada começou ainda, nenhum compromisso, nenhuma reunião, apenas a sua boa vontade e disposição para começar bem.

Adote práticas poderosas que possam se tornar um hábito super saudável e transforme a sua vida para sempre.

Exercício físico:

Algumas pessoas gostam de deixar o exercício para o final do dia, o que acho uma péssima estratégia, pois o organismo já está cansado, estressado, e a conjugação corpo e mente estão bastante prejudicados.

Adote uma prática de se exercitar logo de manhã, com o dia fresco, a mente livre e leve, e o corpo clamando por movimento. Faça, mesmo que seja pouco, e saiba que um pouco é sempre melhor que nada.

 

Mente:

Aprenda sobre a meditação, e se conseguir, faça pela manhã, e vai colocar a sua mente mais preparada para a correria que vem em seguida. Uma meditação pela manhã, vai evitar que você se perca e se desgaste com tanto estresse da correria moderna.

Nutrição:

Procure se alimentar adequadamente pela manhã. A primeira refeição é importante pois o corpo ficou muito tempo sem se alimentar. Não coma muita besteira, na correria, sem tempo para degustar e saborear o que tem na mesa.

Relacionamento:

Aproveite a calmaria da manhã, e evite trazer a pressa quando não há tanta pressa.

Você pode ficar o dia todo longe da família, e por isso, não desperdice o momento junto dos entes queridos. Trate bem, ajude, esteja perto, junto do coração.

Planejamento:

Faça um mínimo planejamento do seu dia, evitando sair na correria meio sem saber o que fazer primeiro.

Faça primeiro o que vem primeiro na sua lista e assim por diante.

Um mente atordoada e uma agenda atropelada pode ser falta de um mínimo planejamento.

Cuide de si:

Não perca tempo com besteiras e procure cuidar mais de si mesmo.

Ame a si mesmo, se cuide e seja generoso consigo mesmo.

Fique bem.

Rubens Sakay (Beco)

65 anos

65 anos

Completei ontem 65 anos e sei que hoje estou mais perto dos setenta.

Passei o dia de ontem completamente absorto no meu envelhecimento, nas coisas que tenho praticado e experimentado nos últimos trinta anos.

Muitas coisas perderam completamente a importância, outras ganharam muito espaço no meu radar, e outras tantas foram relativizadas.

Terceiro compromisso

Terceiro compromisso

Nós nos apressamos a tirar conclusões de tudo, tomar partido, julgar, condenar, enquadrar, e pior é que fazemos isso com coisas que não nos dizem respeito, e Don Miguel Ruiz nos leva a esta reflexão no terceiro compromisso.

Depois que tiramos tais conclusões e ruminamos um pouco na nossa mente, passamos a acreditar e defender, mesmo que não façam qualquer sentido.