Atenda quem bate à porta.

A aceitação é uma capacidade que temos que desenvolver. Quando aceitamos, permitimos que aquilo que nos atormenta vá embora.

É o paradoxo da mudança. Exatamente quando aceitamos o que não queremos é que permitimos que ele nos deixe em paz.

Funciona como alguém que bate à sua porta insistentemente. Você sabe que não é alguém que você gostaria de encontrar.

Atenda à porta:

É como alguém que bate a sua porta insistentemente, enquanto você não atende, essa pessoa segue batendo.

Você gostaria que ela percebesse que você não a quer em casa, quer que ela desista em vá embora, mas acontece exatamente o contrário.

O mais inteligente é ir logo atender a porta. Deixa-la entrar, conversar um pouquinho, com serenidade e assim permitir que ela siga o seu caminho, parando de te perturbar.

Assim acontece com os problemas que circulam na nossa mente de maneira insistente. Enquanto não aceitamos o problema, ou mesmo os pensamentos, eles ficam grudados na nossa mente, feito goma de mascar.

Temos que adotar a aceitação como estratégia para se liberar dessa coisa toda, indesejável e incômoda, enfim, as coisas que não queremos.

Simplesmente não fazemos assim porque foge ao senso comum imaginar que temos que aceitar o que não queremos, mas vale à pena experimentar, pois o alívio vem rapidamente.

Pensamentos negativos:

Sem se dar conta, nos liberamos de tantos pensamentos negativos que rondam a nossa mente, especialmente quando os problemas parecem se acumular, e assim, estes perdem a capacidade de nos incomodar.

A aceitação, tão importante para a nossa paz e serenidade, começa e termina com a aceitação de si própria e da vida que nos foi agraciada.

A insatisfação consigo próprio e com a vida que herdamos é sem dúvida uma barreira para a felicidade.

A vida é isso aí e temos que aprender a fazer dos limões uma limonada, olhar o copo quase cheio e enxergar nos problemas uma oportunidade para aprender, crescer, se fortalecer, e consequentemente experimentar a felicidade.

R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked