As outras pessoas.

Somos seres sociáveis e nos sentimos bem com outras pessoas.

É um antídoto para as coisas ruins – estar junto com as pessoas queridas.

É um veneno para o banquete da vida – alimentar a inveja, as comparações o rancor e o ressentimento, e portanto, conviver com pessoas que assim levam a vida.

Diz o velho ditado: diga-me com quem andas e dir-te-ei quem és.

A ruindade pega, e conviver com pessoas que só vivem para ter ou parecer, acaba nos contaminando. Quando menos percebemos, estamos assim do mesmo jeito.

Pessoas negativas também nos puxam para baixo, e os sentimentos e atitudes negativas da inveja, pessimismo, rancor e ressentimento, nos atam como uma âncora, e nos limitam para prosseguir no nosso crescimento pessoal.

Por outro lado, pessoas amigas de verdade – como é bom tê-las por perto.

Amigos de verdade, nos dão um sentimento de proteção, mesmo que não tenhamos que recorrer a eles para pedir ajuda.

Podemos abrir o coração sem sentir que abrimos a guarda.

Podemos ser sinceros sem sentir que estamos sendo ingênuos.

Podemos errar e seremos perdoados.

Podemos amar e seremos amados.

Ser feliz é ter amigos diz o ditado.

Mesmo que não sejam seus amigos do peito, simplesmente conviver com pessoas de bem, faz bem, te traz bem estar.

Acho que a bondade tem um sexto sentido. As pessoas boas identificam pessoas boas.

A maldade, por outro lado, não tem qualquer sentido, e as pessoas más e negativas ficam com o que sobra, com os amigos de ninguém.

Os amigos também têm um sexto sentido para as dificuldades dos amigos. Quando você está em dificuldade, eles aparecem.

Há quem diga que é uma Força Superior os envia. Podemos dizer que sim, e sabemos que isso acontece com freqüência.

É bom saber que não estamos sós, e o melhor e saber que estamos bem acompanhados.

Beco

1 Comentário

silvia

about 6 anos ago

Muito lindo......

Responder

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta