As minúsculas facetas do mundo.

As minúsculas facetas do mundo que perdemos a chance de apreciar.

As coisas pequenas mas grandiosas que estão fora do nosso olhar ambicioso – que só vê coisas grandes.

As pequenas coisas que estão longe e escondidos do nosso julgamento. Diria que são as coisas que estão no nosso ponto cego.

Os fundamentos do Nobel de Economia Daniel Kahneman foram comentados num artigo antigo do Finantial Times sobre a felicidade e as minúcias da vida cotidiana.

Pequenas coisas:

O nosso bem estar está bastante relacionado com coisas muito pequenas que acontecem no nosso cotidiano.

Estar com os amigos, almoçar com os colegas do trabalho, cozinhar e mesmo assistir TV, foram apontados pelos indivíduos que participaram do estudo.

O estudo contradiz o que sempre se imagina, que uma fortuna no banco, altos escalões sociais apontam para altos níveis de felicidade.

Isso nos leva a prestar atenção nas minúsculas facetas do mundo, da vida, do nosso cotidiano.

Às vezes, um tratamento educado e generoso no caixa do supermercado pode fazer toda diferença.

Eu vi:

Outro dia, a caixa, descobrindo no sistema, que a cliente fazia aniversário naquela dia, desenvolveu uma conversa cortes e alegre sobre o aniversário. Eu estava justamente atrás na fila e pude presenciar um minúsculo momento de bem estar.

Aprendi ali, que devemos estar atentos para não perder essas pequenas preciosidades, e essas oportunidades estão nas coisas mais simples do nosso cotidiano. Não é preciso procurar muito para encontrar, mas precisamos estar com os olhos bem abertos.

Descobrimos assim, que a felicidade pode custar pouco ou quase nada – é uma questão de atitude.

Ela está aqui e agora, se você estiver disposto a enxergá-la.

Ela não é uma grande fortuna que recebemos de uma vez só, mas algo valioso, a própria vida, que reconhecemos em cada pequeno pedaço, cada momento, cada experiência.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta