As minhas imperfeições.

Devo me aceitar como sou.

As minhas imperfeições, eu as reconheço, eu as aceito.

Aceitar as imperfeições é sinal que de posso melhorar, que posso evoluir.

Os meus defeitos não me impediram de chegar aonde cheguei, e isso é sinal que não tenho só defeitos – tenho virtudes, capacidades e habilidades.

Este mês, a ideia força é conhecer a si próprio, e conseguir olhar para o espelho, reconhecer as deficiências e as virtudes é algo que deve ser valorizado.

Eu interior:

Nunca é demais praticar essa introspecção, essa viagem pelo seu eu interior.

A vida se torna plena de sentido quando fazemos e vivemos aquilo que nos motiva, aquilo que fazemos sem ver o tempo passar.

Quanto as imperfeições que reconhecemos mas não há nada que possamos fazer a respeito, certamente temos que tolerar.

Afinal, é bastante possível que elas estejam apenas na nossa imaginação, no nosso julgamento, no nosso senso de perfeição.

É o momento de tolerar aquilo que chamamos pequenas imperfeições. Afinal, ninguém é perfeito e nós tampouco precisamos ser.

Agora me dei conta que o próprio termo imperfeição é bastante inadequado para o que falamos hoje, pois traz o conceito de perfeição que tanto abomino.

Mas podemos entendê-las como defeitos ou deficiências.

Jane Austen:

Jane Austen escreveu que as nossas imperfeições é que nos fazem perfeitos de alguma maneira.

Deve ser porque as reconhecemos, concluímos que não há o que fazer, as aceitamos e assim nos tornamos plenos e íntegros.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta