As dificuldades não precisam nos esmagar.

Nenhum problema dura para sempre.

Você pode dar conta de resolver os seus problemas e sobrepujar as dificuldades, um dia de cada vez.

Aceitar o que está fora do meu controle. Pratique a oração da serenidade.

Ninguém recebe uma cruz maior do que consegue carregar. Aprendi isso lá atrás e postei em: não reclame da sua cruz.

Desculpas:

Tampouco use a sua cruz como desculpa para se esquivar da vida.

Já vivenciei situações de pessoas que não fazem mais nada na vida por conta de algum problema crônico, uma cruz que carregam.

São pessoas que reclama de barriga cheia, como dizem.

Reclamam da vida, sem razão.

Outros, a despeito da pesada cruz, levam a vida com alegria e conseguem sorrir e ser feliz, pois se recusam a ser esmagado pelos problemas.

Problemas:

Não deixe os problemas se embaralharem na sua cabeça, pois assim você perde a noção de proporção.

Quando embaralhamos tudo, os problemas grandes se igualam aos pequenos e aqueles insignificantes acabam incomodando tanto quanto os problemas sérios.

Deixe os problemas pequenos e insignificantes caírem pela beirada da mesa. Vá empurrando-os devagarzinho. Coloque a sua atenção naquilo que realmente é urgente e importante.

Quando o problema é muito grande, normalmente é crônico.

Quando o problema é grande e não é crônico é uma catástrofe ou uma tragédia. Nesse caso, tenho que aceitar.

Quando nos defrontamos com um problema grave e crônico, é natural que estejamos tão imersos e emocionalmente comprometidos, que perdemos a noção de como lidar com ele.

É preciso praticar um desligamento emocional, um distanciamento adequado para conseguirmos ajudar e nos ajudar.

O distanciamento não quer dizer abandono, muito pelo contrário.

Quando nos distanciamos um pouco, ganhamos serenidade suficiente para enxergar o problema na sua real proporção.

Aprendi que não há problema tão grande que não possamos resolver, e aquilo que não tem solução, temos que aceitar.

Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta