As bênçãos que recebi.

Aprendi a enxergar com mais honestidade as bênçãos que recebi.

As coisas negativas tendem a nos marcar mais que as coisas positivas, e por esse motivo, temos que fazer um esforço para que o balanço da vida ganhe um equilíbrio adequado.

Mesmo quando recebemos mais do que ganhamos, temos uma tendência de achar que a vida nos deve algo, que ficamos no prejuízo. Isso não é verdade, e qualquer um é capaz de fazer esse exercício.

Veja até onde você chegou, e relacione a ajuda que recebeu até aqui.

Relembre cada momento em que se sentiu desamparado e a ajuda chegou de repente.

Quantas vezes você olhou para cima e pediu para que Ele iluminasse seu caminho e foi exatamente isso que aconteceu.

Mente:

Já comentei aqui que a ciência comprovou que a nossa mente trata as coisas negativas como velcro(gruda), e as coisas positivas como teflon(escorrega), temos que ter isso em conta para não ficar com a impressão errada da própria vida.

Se esforce para aproveitar cada momento positivo do seu cotidiano, para que a sua conta corrente pareça polpuda, e a vida abençoada.

Enumere as bênçãos que recebeu, sinta essa energia do bem, e traga tudo isso para dentro de si.

A gratidão nos faz mais felizes, e compartilhar isso com os amigos, contagia, e de volta, nos alimenta novamente.

Relacione as bênçãos que recebeu, pois a nossa mente está programada para esquecer as coisas boas, especialmente quando recebemos notícias ruins ou algo desagradável acontece conosco.

Olhe cada adversidade como uma lição escondida. Procure desvendar a lição, ao passo que dá conta das dificuldades.

Analise com honestidade as oportunidades que surgem na sua vida.

Busque sempre a serenidade para não se deixar contagiar pelos muitos pequenos problemas do cotidiano.

Podemos nos sentir atropelados, mas podemos olhar os problemas de maneira mais positiva, separando claramente aquilo que não tenho controle, para então fazer com determinação o que está no nosso alcance.

Faça o melhor que pode, agradeça, e seja feliz.                                                                                       R.S. Beco

Sem Comentários

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta